Neymar na lista dos que derrubaram técnicos

Neymar na lista dos que derrubaram técnicos

Neymar se envolveu em polêmica que culminou com a demissão do técnico Dorival Júnior

Em uma decisão inusitada, a diretoria do Santos anunciou a demissão de Dorival Júnior. O treinador ousou barrar o atacante Neymar do clássico contra o Corinthians, nesta quarta-feira, às 22h, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Brasileiro.

Contudo, essa não é a primeira vez que um jogador consegue "derrubar" um treinador do cargo no futebol brasileiro. Romário, Neto, Evair e Adriano são alguns dos nomes consagrados que já protagonizaram casos semelhantes.

Uma das maiores promessas do Santos na atualidade, Neymar desrespeitou Dorival durante a vitória por 4 a 2 contra o Atlético-GO, no último dia 16 de setembro, na Vila.

Na ocasião, o camisa 11 ofendeu verbalmente o técnico, que não permitiu que o atacante batesse um pênalti. Afastado, o jogador não enfrentou o Guarani na partida seguinte, em duelo que acabou com um empate sem gols.

De acordo com a diretoria do clube, o camisa 11 deveria retornar no confronto seguinte, justo o clássico contra o Corinthians. No entanto, o então treinador da equipe surpreendeu e anunciou que a punição ao atleta estava mantida. A "ousadia" custou seu emprego e a reintegração de Neymar ao elenco para enfrentar o arquirrival nesta quarta.

Com a polêmica da dispensa de Dorival Júnior - campeão do Paulista e da Copa do Brasil com o time santista em 2010 - o Terra listou 10 casos em que os técnicos acabaram desempregados por não terem uma boa relação com os principais craques dos clubes que treinavam. Na relação, também aparecem Vanderlei Luxemburgo, Nelsinho Baptista, Petkovic, Roger e Paulo Autuori.

Confira abaixo a lista:

Cilinho e Neto - Corinthians 1991

Um dos melhores técnicos do Brasil nos anos 80, status adquirido depois de passagem vitoriosa pelo São Paulo, Cilinho chegou ao Corinthians em 1991 e foi vice-campeão paulista. O treinador deixou o cargo pouco depois, após se desentender com o presidente Vicente Matheus e com o meia Neto, craque do time e que havia se irritado com a dispensa do volante Márcio.

Nelsinho Baptista e Evair - Palmeiras 1992

Destaque do Guarani nos anos 80, Evair chegou ao Palmeiras após uma passagem pelo Atalanta, da Itália. Aos poucos, conquistou os torcedores do time alviverde e ganhou a confiança de diretoria. A exceção ficou por conta de Nelsinho Baptista, que colocou o atacante em uma lista de dispensa, em 1992. Com a demissão do comandante, Otacílio Gonçalves assumiu e trouxe o artilheiro de volta à equipe principal.

Luxemburgo e Romário - Flamengo 1995

Após passar pelo Barcelona, Romário retornou ao Brasil em 1995 com o status de melhor do mundo. No entanto, queria tratamento diferenciado no Flamengo e encontrou resistência de Vanderlei Luxemburgo, técnico do time. O treinador acabou demitido diante do atrito com o astro.

Paulo Autuori e Romário - Flamengo 1998

O Flamengo de Paulo Autuori era um dos melhores times do País no papel, mas fazia atuações vexatórias. Eliminado no Rio-São Paulo pelo Fluminense, goleado pelo Vitória por 5 a 0 na Copa do Brasil e derrotado pelo Bangu no Campeonato Carioca, o técnico - que não se dava bem com o principal craque do time, novamente o atacante Romário - não resistiu e pediu demissão.

Alexandre Gama e Romário - Fluminense 2004

Principal protagonista das quedas de técnicos, Romário continuou sua saga no Fluminense, em 2004. Na época, a equipe era treinada por Alexandre Gama, que ousou barrar o atacante. "O cara mal chegou no ônibus e já quer sentar na janelinha?", disse o camisa 11 na época. O atrito acabou custando a demissão do treinador, mas Romário não ficaria por muito mais tempo nas Laranjeiras. Em 2005, o jogador estava de volta ao Vasco.

Dario Lourenço e Romário - Vasco 2005

Não demorou nem um ano para que Romário derrubasse mais um técnico. Foi em 2005, quando Dário Lourenço comandava o Vasco. Na época, o camisa 11 protagonizou uma cena curiosa, ao entrar em campo e distribuir os coletes de titulares e reservas durante um treino. O treinador assistiu a tudo, atônito. Recém-chegado do Volta Redonda, Lourenço não demoraria muito para ser demitido.

Daniel Passarella e Roger/Fábio Costa - Corinthians 2005

O técnico argentino Daniel Passarella caiu após uma série de maus resultados, como a eliminação precoce na Copa do Brasil contra o Figueirense e a humilhante derrota por 5 a 1 para o São Paulo em pleno Pacaembu. Um dos motivos da dispensa de Passarella foi sua rusga com o goleiro Fábio Costa, afastado, e com o meia Roger, sacado do time titular na semana anterior.

Vanderlei Luxemburgo e Keirrison - Palmeiras 2009

Vanderlei Luxemburgo contava com a boa fase do atacante Keirrison, então autor de muitos gols no ataque do Palmeiras. No entanto, o treinador se irritou com uma possível saída do jogador ao alegar que era o "último a saber". Irritado, Vanderlei afirmou que o camisa 9 não vestiria mais a camisa alviverde enquanto ele fosse o comandante. No dia seguinte, foi mandado embora do Palestra Itália.

Cuca x Adriano e Petkovic - Flamengo 2009

O Flamengo aparece na lista pela terceira vez com o técnico Cuca, campeão carioca com a equipe em 2009. Pouco depois, o treinador ficou contrariado pela contratação do sérvio Petkovic, ídolo no clube, e entrou em conflito com diversos jogadores do elenco rubro-negro. O auge do mal-estar aconteceu quando ele criticou a forma física e as faltas de Adriano, principal nome da Gávea. Cuca ficou apenas até julho e assistiu ao seu ex-clube levantar o troféu do Brasileiro no fim do ano.

Antonio Carlos e Robert - Palmeiras 2010:

O Palmeiras empatou com o Vasco por 0 a 0 no Rio de Janeiro em maio de 2010, pelo Campeonato Brasileiro. Horas depois, o técnico Antônio Carlos e o atacante Robert teriam se desentendido, discutido rispidamente e chegado até as vias de fato no ônibus da delegação, fato que irritou profundamente a diretoria palmeirense. No dia seguinte, os dois estavam desempregados.

Fonte: Terra, www.terra.com.br