Assis descarta despedida de Ronaldinho: "Projeto segue"

O irmão e empresário de Ronaldinho, Roberto Assis, assegura que as palavras não tiveram tom de aviso ou adeus.

Após o treino da manhã desta segunda-feira, Ronaldinho Gaúcho deixou o Ninho do Urubu pela porta dos fundos para evitar os fotógrafos e cinegrafistas. A cena ocorre dois dias depois de o atacante ter dito que gostaria de deixar o Flamengo pela porta da frente. O camisa 10 soltou a frase logo após a vitória sobre o Vasco, sábado, pela Taça Rio, e deixou no ar uma possível despedida.

O irmão e empresário de Ronaldinho, Roberto Assis, assegura que as palavras não tiveram tom de aviso ou adeus. Pelo menos por enquanto. Segundo o agente, o camisa 10 apenas se posicionou diante das críticas que tem recebido pelo desempenho abaixo das expectativas e dos comentários sobre a possibilidade de deixar o clube antes do término do contrato, no fim de 2014.

- Normal. Ele fez um comentário em cima de comentários que vinham fazendo sobre ele. Não foi uma declaração. Ele só disse que o dia que saísse sairia pela porta da frente. Por enquanto, não tem nada. Nunca houve essa conversa com ninguém do Flamengo. É tudo uma invenção ? comentou Assis.

O empresário afirmou também que uma eliminação precoce na Libertadores não vai abreviar a permanência de R10.

Normal. Ele fez um comentário em cima de comentários que vinham fazendo sobre ele. Não foi uma declaração. Ele só disse que o dia que saísse sairia pela porta da frente. Por enquanto, não tem nada. Nunca houve essa conversa com ninguém do Flamengo. É tudo uma invenção"

Roberto Assis

- O nosso projeto segue o mesmo. Se apostou muito na Libertadores no primeiro semestre, algumas coisas não deram certo, mas faz parte. O projeto era o Carioca e a Libertadores na primeira parte do ano. Logo a seguir vem o Brasileiro, e o clube vai buscar o título. Mas a Libertadores não acabou ainda. Temos que acreditar.

Após a derrota para o Emelec, no Equador, na semana passada, que deixou o Flamengo em situação delicada na competição sul-americana, Ronaldinho virou o principal alvo dos protestos de membros de torcidas organizadas. A saída do atacante entrou em pauta no clube. Assessores próximos à presidente Patricia Amorim tentaram convencê-la a buscar a rescisão amigável. Ela e Assis negam fortemente a possibilidade.

- Ele está tranquilo. Quem joga em um grande clube sabe que a cobrança é maior. E ela não é só em cima do Ronaldo, mas para todo o grupo e a comissão técnica. Claro que com ele é um pouco maior, mas essa cobrança é normal. Ele tem experiência para lidar com isso. Ele representa uma nação de 30 milhões e tem interesse em vencer. Vamos torcer para que na quinta o time vença, temos de acreditar na classificação. Mas para isso é preciso ter tranquilidade. Quem viu os últimos jogos viu que o Ronaldo jogou bem. E tem mais: seis pessoas não representam a torcida do Flamengo, que é muito maior do que isso.

Para Léo Moura, R10 estava de cabeça quente

O lateral-direito também fez uma avaliação da entrevista do companheiro e não viu nenhum problema. Léo vê Ronaldinho satisfeito no clube.

- De repente falou aquilo no calor do jogo, pelas cobranças que vinham acontecendo. Mas ele é um cara inteligente, está feliz aqui. O mais importante é vê-lo bem, feliz. Ele está se acostumando com o Flamengo. Quando ganha, está lá em cima. Se o resultado não vem, fica lá embaixo. A cada dia vai passar por momentos diferentes aqui no Flamengo. Estamos aqui para ajudar.

O Rubro-Negro enfrenta o Lanús, da Argentina, com obrigação de vitória. Para se classificar no Grupo 2, terá de vencer e torcer por um empate entre Olimpia e Emelec no Paraguai. As duas partidas serão na quinta, às 19h30m (de Brasília). No Carioca, o Rubro-Negro está classificado para a semifinal da Taça Rio.


Assis descarta despedida de Ronaldinho:

Fonte: EGO