Atacante Fred do Fluminense revela sua tática com as mulheres

Protagonista do tetra, artilheiro do Brasileirão diz gostar da vida de solteiro


Atacante Fred do Fluminense revela sua tática com as mulheres
O jogador do momento é ele: artilheiro do Brasileirão, protagonista do tetra do Fluminense, craque do campeonato, convocado para a Seleção. Sem dúvida, Fred está com a bola toda. A reportagem acompanhou a rotina do atacante do Fluminense, que revelou ser mulherengo mesmo e que não pretende deixar o clube carioca tão cedo.

O reflexo do sucesso dentro de campo é o assedio dos fãs fora do gramado. Seja nas Laranjeiras ou na hora de almoçar no restaurante, o craque passa a maior parte do tempo atendendo aos fãs: distribuindo autógrafos e posando para fotos. Para a alegria dos tricolores, Fred ainda deseja ganhar muitos títulos pelo time.

- Está tudo encaminhado para eu permanecer no Fluminense. Só se a diretoria falar ?não estamos aguentando mais você...?. Mesmo assim, o carinho e as coisas que passei dentro do clube já me fazem sentir como se fizesse parte daquela história ali. Eu acho que eu tenho mais para conquistar e depois quero contribuir de alguma forma.

Fora de campo, ele também bate um bolão com a mulherada. Vaidoso, o ídolo do Flu afirma que sua tática com as mulheres não é o ataque.

- . Já fui casado também. Namorar é bom, mas vida de solteiro é boa para caramba. Não tem pressão, cobrança...Eu não sou de atacar. Sou tímido. Eu gosto de ficar trabalhando a jogada, que toca a bola para o lateral, o lateral dá para o meia, que é uma piscada, um sorriso...o meia vai e toca para o centro avante, os dois trocando olhares. Aí é só fazer o gol e estou tranquilo.

O jeitinho mineiro e a influência do estilo de vida carioca faz Fred planejar o futuro.

- Hoje eu sou ?mineroca?: metade mineiro, metade carioca. Eu adoro o Rio. Já tenho planos de ter minha casa em Belo Horizonte e minha casa aqui no Rio. Acho que vou ficar de segunda a quinta em BH e no fim de semana venho para cá. Mas isso só depois que ele parar de jogar...daqui a uns sete anos.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com