Internacional perde a invencibilidade após perder para  Atlético-PR

Internacional perde a invencibilidade após perder para Atlético-PR

Nos primeiros minutos, o Inter chegava mais perto do gol, mas sem concluir efetivamente contra a meta de Renan Rocha

Única equipe ainda invicta no segundo turno do Campeonato Brasileiro até o começo desta rodada, o Internacional foi a Curitiba enfrentar o ameaçado Atlético-PR e tentar se aproximar da Libertadores. Sem Leandro Damião, ainda fora por lesão, a equipe colorada esbarrou em uma bela tarde do centroavante adversário, Nieto, que marcou duas vezes para dar a vitória por 2 a 0 para os donos da casa.

O resultado não alivia tanto a situação do Atlético-PR, que continua na zona de rebaixamento, agora com 27 pontos, na 17ª colocação. Já o Internacional estaciona nos 40 pontos e na 7ª posição. Na próxima rodada, o clube rubro-negro tem mais um confronto direto contra o rebaixamento, já que pega o Avaí, na Ressacada, às 18h (de Brasília) de sábado. O Inter, por sua vez, recebe o líder Vasco, às 16h (de Brasília) do domingo.

Precisando vencer para fugir do perigo do rebaixamento, Antônio Lopes foi para a partida deste sábado sem poder contar com três jogadores em relação à última partida. O volante Deivid, um dos destaques do time na competição, o lateral Wagner Diniz e o zagueiro Rafael Santos ficaram de fora por suspensão automática. Com isso, o treinador levou a campo uma formação pragmática, com Paulinho, Edílson e Fabrício no lugar dos suspensos e deslocando Marcelo Oliveira para o meio-campo.

Já Dorival Júnior, com o objetivo de se aproximar da zona da Libertadores, também tinha baixas para o duelo. Suspensos, o zagueiro Rodrigo Moledo, o lateral Kleber e o meia Andrezinho, deram lugar a Bolívar, Fabrício e Ricardo Goulart, respectivamente. Além deles, o atacante da Seleção Leandro Damião continuou fora por lesão, com Jô substituindo-o.

O jogo

O confronto começou movimentado, com as duas equipes tentando entrar na área adversária, mas esbarrando no péssimo estado do gramado da Arena da Baixada. Nos primeiros minutos, o Inter chegava mais perto do gol, mas sem concluir efetivamente contra a meta de Renan Rocha. O lado negativo no início ficou para um torcedor atleticano, que atirou objetos em campo, atingindo o meia D¿Alessandro. Ele foi identificado e retirado do estádio sob agressões dos próprios companheiros de arquibancada.

Melhor em campo, o Inter quase abriu o placar aos 10min, mas o ataque foi parado por Renan Rocha. O primeiro lance de perigo do Atlético-PR foi aos 15min, quando Nieto ganhou uma disputa de bola pelo alto com o Bolívar, mas finalizou nas mãos de Muriel. Antes de chutar, o atacante ainda esboçou uma reclamação com o juiz, achando que havia sido marcada uma infração, perdendo um tempo precioso. O lance acendeu a equipe, que passou a esboçar uma pressão nos adversários, mas com os gaúchos assustando mais quando iam ao ataque.

O resto do primeiro tempo foi de um aparente domínio dos donos da casa, mas que encontravam dificuldades no ataque, sem chegar a assustar o goleiro colorado. No único lance de perigo, Guerrón mandou a bola para a rede, mas foi marcado um impedimento corretamente pelo assistente. Com muitos erros de passe dos dois lados, as equipes foram para o intervalo sem modificarem o placar.

Para a segunda etapa, Antônio Lopes resolveu desfazer a mudança que fez antes do início do jogo, colocando o meia Marcinho no lugar do lateral Paulinho, deslocando Marcelo Oliveira de volta para a lateral esquerda. Contudo, antes do juiz apitar o reinício da partida, o treinador atleticano foi obrigado a fazer mais uma alteração, já que o volante Renan começou a passar mal no gramado. No lugar dele, entrou Fransérgio.

A alteração deixou o Atlético-PR mais ofensivo, abrindo espaço para o Inter nos contra-ataques. Os primeiros lances foram todos dos gaúchos, que esboçavam uma pressão em busca do primeiro gol na partida. O placar só não foi aberto porque a equipe colorada esbarrava no último passe. Aos 8min, Jô recebeu em posição legal e tocou na saída de Renan Rocha, mas o gol foi anulado, erroneamente, já que o assistente anotou impedimento.

A aposta de Antônio Lopes na experiência de Nieto deu resultado aos 13min do segundo tempo. Após cruzamento de Marcinho, o atacante apareceu entre os zagueiros colorados para cabecear para o fundo das redes de Muriel. Atrás no placar, Dorival mexeu, trocando Ricardo Goulart por Alex. Aos 16min, Jô quase empatou, também de cabeça, mas o goleiro adversário salvou o Atlético-PR.

O Inter foi pra cima, mas quem levava perigo era o time da casa, nos contra-ataques. Nieto poderia ter marcado o segundo aos 21min, matando o jogo, mas se enrolou na hora de driblar o goleiro e perdeu uma grande chance. A grande chance do Inter veio novamente com Jô, aos 29min. O atacante subiu sozinho entre os zagueiros atleticanos após cruzamento de Fabrício, mas cabeceou por cima do gol.

Nos 15 minutos finais, o clube gaúcho foi todo para o ataque, enquanto o Atlético-PR se defendia como podia. Encurralado, o Atlético-PR conseguiu matar o jogo em uma escapada para o ataque aos 37min. Após novo cruzamento, o atleta cabeceou mais uma vez para o fundo das redes e diminuiu o sofrimento da torcida rubro-negra, que chegou até a gritar "olé" nos minutos finais. Nos acréscimos, Nieto ainda perdeu mais um lance de frente para o goleiro adversário, mas mesmo assim saiu ovacionado.

Fonte: Terra, www.terra.com.br