Segundo cardiologista, corrida é a melhor atividade contra o câncer de mama

A atividade física como a corrida, contribui para uma melhor qualidade de vida e melhor autoestima

A atividade física regular, como a corrida, especificamente, é das mais fortes ferramentas contra os riscos da vida sedentária, um palpável fator de risco para as doenças cardiovasculares. E confirmou-se para o surgimento do câncer de mama, entre outros.

As atividades aeróbicas têm ação direta, seja no bem estar físico como o estado psicológico das pacientes que fizeram quimioterapia e (ou só) cirurgia de qualquer abrangência, e foram consideradas curadas ou então mantém tratamento do câncer de mama.

 Os exercícios físicos aeróbicos como das corridas, combinados com os de fortalecimento e manutenção da potência muscular, no mínimo, reduzem a indesejável perda de força dos sedentários, que se acentua com o avançar da idade.

Podemos dizer que, agora, o exercício físico para pacientes que tiveram ou estão em tratamento contra o câncer de mama faz parte do tratamento oncológico de alta qualidade. Essa tão simples ferramenta deve ser utilizada de uma maneira global e o médico assistente da paciente deve levar em conta alguns parâmetros básicos da preparação para a atividade física:

1- Estado de saúde atual
2- Uma detalhada orientação médica
3- Acompanhamento de um médico mastologista (especialista que estuda doenças e outras alterações das mamas)
4- Realizar atividades físicas diárias e regulares, de intensidade suficiente para estimular e manter as pacientes em programa de exercícios.
5- O exercício do tipo aeróbico de baixa intensidade, como as caminhadas, de início durando entre 10 e 15 minutos
6- A medida que a paciente vái se adaptando a essa atividade física, o tempo de exercício e a intensidade poderão ser aumentadas para corridas sem pressa em atingir essa etapa
7- Alternar as modalidades esportivas: hidroginástica/natação com as caminhadas. Lembrar que temos que avaliar o braço do lado da cirurgia de mama.
8- Os exercícios de força (fortalecimento muscular) poderão ser iniciados no momento certo do pós-operatório (auxiliam a redução do inchaço do braço e na melhora do tônus muscular.
9- Iniciar com baixo peso, de um a dois Kg, com 10 a 15 repetições (média de 12), sempre alternando os grupos musculares em cada dia de exercício.
10- O médico mastologista, deve informar quando é a melhor hora de começar, com ajuda de um educador físico experiente, orientando todo os exercícios.
11- O cuidado com o membro superior do lado operado é importantíssimo, evitando traumas, exposição excessiva ao sol, alergias, entre outros possíveis problemas que podem ocorrer.

A atividade física como a corrida, contribui para uma melhor qualidade de vida, melhor autoestima, reabilitando as pacientes.

Fonte: Globo Esporte