Segundo estudos, nossa cultura impõe o que, como e por que comemos

Os seres humanos são animais onívoros, podendo consumir tanto alimentos de origem vegetal como de origem animal.

Um novo movimento chamado Nutrição Comportamental surge para ratificar que somos não somente o que comemos, mas como comemos, com quem comemos e por que comemos. A Nutrição Comportamental é o movimento da nutrição que inclui os aspectos fisiológicos, sociais e emocionais da alimentação, promovendo mudanças no relacionamento do nutricionista com seu paciente, acabando com o perfil controlador.

De acordo com os nutricionistas idealizadores, “o como se come - as crenças, pensamentos e sentimentos sobre comida - são tão ou mais importantes do que simplesmente o que se come”. O comportamento alimentar está diretamente relacionado com a nossa cultura, a sociedade em que vivemos, nossa relação com a comida, clima, ecologia, aspectos biológicos (idade e sexo) e econômicos.

Os seres humanos são animais onívoros, podendo consumir tanto alimentos de origem vegetal como de origem animal. No processo evolutivo da espécie, descoberta do fogo e confecção de instrumentos, passou a caçar e introduziu a agricultura, modificando a forma como o alimento inicialmente era obtido. Com a evolução tecnológica e aumento da população mundial, novas técnicas foram elaboradas para aumentar a produção e variedade dos alimentos (plantação, criação de animais, etc...).

Com tanta variedade alimentar, contraditoriamente começamos a restringir grupos alimentares, a ter medo dos alimentos. Nunca foi tão difícil chegar a um consenso do que é alimentação saudável. Mas saudável para quem? Temos muitas informações, linhas de pesquisas, tendências, estudos... mas há certo ou errado, mocinhos e vilões?

Não, não há mocinhos e vilões. O alimento isolado não tem todo este poder. Estaríamos sendo muito reducionistas se acreditássemos que somos apenas o que comemos e que nos alimentamos apenas para obter energia!

Segundo Claude Fishler, sociólogo francês: “comida não é só nutrientes, calorias, proteínas, vitaminas, etc. Existem regras que estão implícitas no ato de comer, que os comedores seguem sem ter consciência que estão seguindo, como as coisas que se pode comer ou não, as horas em que se deve comer, o número de refeições diárias, com quem se deve comer, qual a etiqueta que se deve seguir”.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo Esporte