Após cinco anos de parceria, Alonso e Ferrari acertam o fim da união

Após cinco anos de parceria, Alonso e Ferrari acertam o fim da união

A confirmação do fim da união entre Fernando Alonso e Ferrari no fim desta temporada é questão de tempo. Com opiniões divergentes sobre o futuro, piloto e cúpula do time já chegaram à conclusão de que é melhor romper o vínculo que iria até o fim de 2016, após cinco anos de parceria. Obcecado em buscar o tricampeonato mundial, o espanhol perdeu a paciência com a escuderia. A equipe, por sua vez, passa por uma reformulação e admite que precisará de ao menos duas temporadas para voltar a ser competitiva. Além disso, os novos comandantes Marco Mattiacci (chefe do time) e Sergio Marchionne (presidente) também não engoliram muito a personalidade e as exigências do espanhol. É esperado um anúncio oficial ainda neste fim de semana em Suzuka, palco do GP do Japão deste domingo.

Ao que tudo indica, o destino de Alonso será a McLaren. O bicampeão aposta no ambicioso projeto da Honda para voltar a disputar títulos e em um salário de 35 milhões de euros anuais. A montadora japonesa além de fornecer motores para o time inglês a partir de 2015, chega com um grande aporte financeiro com o objetivo de repetir o período de glórias do fim da década de 1980, com Ayrton Senna e Alain Prost.

Com a iminente saída de Alonso da Ferrari, abre-se uma cobiçada vaga na escuderia mais tradicional da história da Fórmula 1. E apesar de ter contrato com a RBR até o fim de 2015, o nome de Sebastian Vettel aparece como o mais cotado. Em baixa na equipe austríaca, o tetracampeão mundial estaria inclinado a antecipar seu sonho de defender o time de Maranello.

Jornais como o italiano “La Gazzetta dello Sport” já dão o negócio como certo, enquanto o alemão “Sport Bild” e o finlandês “Ilta-Sanomat” afirmam que as conversas estão avançadas. Caso não consiga tirar o alemão da RBR, a Ferrari cogita nomes como Jules Bianchi, piloto da Marussia e membro de seu programa de Jovens Pilotos, Nico Hulkenberg, da Force India, e Romain Grosjean, da Lotus. Outra opção seria Jenson Button, que pode ficar sem vaga em 2015 com a provável chegada de Alonso na McLaren.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo Esporte