"Ele não vai desistir, tenho certeza disso. Posso ver isso. Eu acredito", diz pai de Bianchi

Bianchi bateu com força em um guindaste que retirava o carro de Adrian Sutil de uma área de escape

O pai de Jules Bianchi admite que a situação do piloto da Marussia, que se acidentou no GP do Japão de Fórmula 1, é "desesperador". Mas, Philippe Bianchi se recusa a entregar os pontos. O francês afirmou que os médicos admitiram que é um milagre Jules estar vivo e que tem certeza de que ele não desistirá.

"A situação é desesperadora. Toda vez que o telefone toca nós sabemos que pode ser o hospital dizendo que Jules morreu", afirmou o pai do piloto, ao jornal La Gazzetta dello Sport. "Há momentos em que olhando para Jules deitado na cama, sem um arranhão, dou-lher um beijo no rosto e digo: 'Vamos levantar. Vamos sair do Japão, Jules, vamos para casa.'"

"Ele não vai desistir, tenho certeza disso. Posso ver isso. Eu acredito. Falo com ele, eu sei que ele pode me ouvir", acrescentou ele. "Os médicos já nos disseram que é um milagre, ninguém sobrevive a um acidente tão sério."

Bianchi bateu com força em um guindaste que retirava o carro de Adrian Sutil de uma área de escape do circuito de Suzuka. Levado ao hospital imediatamente, ele chegou a operar o cérebro e mantém um estado crítico, mas estável.

"Seu treinador, Andrea Ferrari, diz que se há uma pessoa que pode sair dessa, é ele, é Jules", completou Phillipe, esperançoso, comparando o caso ao de Schumacher. "Levou meses para Schumacher sair do coma. Espero que aconteça com Jules também."

Até agora, as causas do acidente ainda são investigadas. Para o diretor de prova Charlie Whiting, uma "tempestade de condições" acabou na batida, já que havia muita chuva no momento da batida e Bianchi acabou colidindo com um veículo que tentava garantir a segurança da pista, tirando o carro de Adrian Sutil.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Uol