Mídia erra tradução de amigo de Schumacher e confunde fãs sobre a melhora do piloto

Todt afirmou que estava torcendo para que Schumi pudesse levar "uma vida relativamente normal"

Os fãs de Michael Schumacher continuam em uma grande torcida para que o piloto se recupere do acidente de esqui que ocorreu no ano passado. Só que uma confusão na hora da tradução da fala de seu amigo percorreu a mídia no último fim de semana.

O dirigente de 68 anos, amigo pessoal de Schumacher, concedeu uma entrevista a uma das emissoras do Grupo RTL. Após fazer uma visita ao ex-piloto, o francês destacou os avanços na recuperação do heptacampeão e disse: "espero que as coisas melhorem". Todt afirmou também que estava torcendo para que Schumi pudesse levar "uma vida relativamente normal" no futuro.

Alguns dos principais veículos da mídia alemã originaram o erro de tradução. O "Der Spiegel" estampou que "amigo Todt anuncia 'vida normal' para Schumacher", enquanto a revista "Focus" disse que "Schumacher vai 'viver uma vida normal'". Os veículos da imprensa britânica, referência em notícias relacionadas à Fórmula 1, reproduziram o equívoco e passaram o erro adiante. Com base em reportagem do inglês "Daily Mail", o GloboEsporte.com também acabou noticiando a entrevista de Todt com as distorções surgidas na imprensa alemã.

Todt faz visitas regulares a Schumacher desde o acidente ocorrido em dezembro do ano passado. Desde setembro, o recordista de títulos da F-1 dá continuidade à sua recuperação em sua casa, na Suíça, amparado pela família. Após a última visita, o presidente da FIA, que foi chefe do alemão nos tempos da Ferrari, ressaltou que ainda há um longo caminho para a recuperação completa do ex-piloto:

- Torço para que Schumacher tenha uma vida relativamente normal em breve. É bem verdade que ele nunca mais irá pilotar um carro da Fórmula 1, mas ele está lutando. Sua condição melhorou, o que é muito importante junto com o fato dele estar ao lado da família, em sua casa novamente. Nas últimas semanas e meses, ele mostrou progresso em relação a severidade de sua lesão. Mas ainda há uma longa e difícil estrada a sua frente. Espero que as coisas sigam evoluindo. A família dele está próxima. Ele precisa de tempo e paz - teria afirmado Todt em sua entrevista original ao Grupo RTL.

Na mansão da família, localizada às margens do lago Léman, em Genebra, na Suíça, Schumi recebe o carinho diário da esposa Corinna e dos filhos Mick, 15 anos, e Gina-Maria, 17. O pai do ex-piloto, Rolf, está se mudando da Alemanha para a região, para ficar mais perto do filho. Além disso, uma equipe de 15 pessoas se reveza no acompanhamento e no tratamento de Michael 24h por dia.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo Esporte