Piloto do guindaste de Interlagos afirma que riscos fazem parte da corrida

Para o brasileiro Rafael Ricciardi, que comanda a máquina pelo quarto ano seguido no GP do Brasil, o caso não tem erro.

Após o acidente no grande prêmio de Suzuka, no Japão com o piloto Jules Bianchi, os guindastes são o tema das discussões entre os pilotos. Muito se discute se o fato de o guindaste ficar no canto da pista para resgatar um veículo é correto ou não. Para o brasileiro Rafael Ricciardi, que comanda a máquina pelo quarto ano seguido no GP do Brasil, o caso não tem erro.

- Não tenho medo, tudo é seguro. O que aconteceu no Japão faz parte do risco da corrida. Em termos de regra, não houve nenhum problema, foi feito o que tinha que ser feito.O procedimento em Suzuka foi certo - disse.

O francês Jules Bianchi, da Marussia, sofreu um gravíssimo acidente que provocou o encerramento do GP do Japão. Na 43ª volta da prova, o piloto de 25 anos aquaplanou na pista molhada de Suzuka e atingiu um guindaste que removia a Sauber de Adrian Sutil. Bianchi estava a mais de 200km/h quando perdeu o controle de sua Marussia e acabou entrando embaixo do veículo que removia o carro do alemão. No impacto, o santoantônio, estrutura feita para proteger a cabeça do piloto em caso de capotagens, ficou destruído, e o francês foi atingido no capacete.

Segundo Rafael, tudo o que podia ser realizado aconteceu, e não existe um culpado para o acidente:

- Nunca um acidente tem um só erro, é uma somatória de circunstâncias. Você nunca vai ter 100% de segurança na Fórmula-1. Se fosse em outro circuito, se fosse aqui em Interlagos, provavelmente aconteceria a mesma coisa, porque o guindaste era para estar lá de qualquer forma - explicou.

O guindaste usado no Brasil, porém, é diferente. É cerca de meia tonelada mais pesado, além de ser mais baixo. Mas isso não tem nada a ver com o acidente de Bianchi, já que cada circuito tem contrato com uma empresa.

- Se o Bianchi tivesse batido nesse guindaste, a situação seria muito parecida - disse.

O Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1 será realizado nos dias 7,8 e 9 de novembro no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Para os interessados, as bilheterias do autódromo de Interlagos, ao lado do portão 7 (Av. Senador Teotônio Vilela), estão abertas para a venda de ingressos. Estarão disponíveis ingressos restantes para todas as arquibancadas do autódromo, exceto para os setores “D” e “F”, já esgotados. O GP do Brasil está marcado para os dias 7, 8 e 9 de novembro.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo Esporte