Sobre estado de saúde de Michael Schumacher, Massa desconversa:"Eu não gosto de falar"

Sobre o retorno de Schumacher à Fórmula 1 para uma passagem sem brilho de 2010 a 2012 na Mercedes, Massa comentou a dificuldade.

Companheiros de apenas uma temporada, Felipe Massa e Michael Schumacher tiveram tempo suficiente para criar uma grande amizade, no qual eram chamados de 'irmãos' . Durante um programa televisivo nesta segunda-feira (10), o piloto falou um pouco sobre a carreira do seu amigo que teve que ser interrompida de forma drástica por conta de um grave acidente.

- Ele resolveu encerrar a carreira na primeira vez – depois ele voltou – porque acho que ele estava um pouco de saco cheio, ele estava cansado. Não porque ele não gostava de guiar, porque o que ele mais gostava era guiar, mas estava cansado do trabalho, da pressão (...) Na minha opinião, ele fez a carreira mais perfeita, começando na época que começou, ganhando sete campeonatos e parando com 37 anos, que não se pode falar que ele parou muito cedo - relembrou.

Sobre o retorno de Schumacher à Fórmula 1 para uma passagem sem brilho de 2010 a 2012 na Mercedes, Massa comentou a dificuldade que é para um esportista se aposentar

- Ele quis voltar porque não aguentava mais ficar em casa. E não é fácil. Para o Rogério deve ser muito difícil. E ele deve estar sentindo isso. Porque não é fácil. É o seu trabalho e você encerra sua carreira novo, tendo uma vida pela frente – disse o piloto, torcedor fanático do São Paulo.

 Aproveitando o tema “Schumacher”, o jornalista Wagner Vilaron perguntou se o brasileiro tinha novidades sobre o estado de saúde do heptacampeão, que segue se recuperando lentamente em casa do gravíssimo acidente de esqui nos alpes franceses, em dezembro de 2013. O brasileiro deixou transparecer o incômodo em falar da situação do amigo:

- Lógico que foi um acidente muito grave, né? E ele está melhorando. Mas é uma coisa que deve (...) Eu não gosto de falar, para falar a verdade eu prefiro não falar, porque não sei os nomes, não sei a situação direito. Então prefiro não falar coisas que não tenho nada a ver. E uma vez eu falei, porque fui vê-lo, e falei algo que saiu completamente diferente do que falei. Não é bacana.

 Ao ser abordado sobre o drama do heptacampeão, Massa lembrou também de outros dois dramas. Um recente, o do francês Jules Bianchi, que está internado em estado crítico desde quando acertou um trator no GP do Japão, em outubro. O outro, seu próprio acidente, quando foi atingido por uma mola do carro de Rubens Barrichello, nos treinos para o GP da Hungria de 2009:

- É difícil a gente entender. É uma coisa muito grave, é uma coisa muito séria que aconteceu não só com ele, como com o Bianchi. É um acidente muito grave também. Eu passei por um acidente muito grave também. Meu acidente foi diferente. Tive uma hemorragia também, mas não entrou no cérebro, foi mais ósseo. Tomei tanta droga, por ficar em coma, que nos primeiros dias eu estava meio “lelé da cuca”. Mas depois de alguns dias, quando saí do hospital, já estava normal.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

Fonte: Globo Esporte