Mario Balotelli faz dois gols na Alemanha, vira herói e põe Itália na final da Eurocopa

Mario Balotelli faz dois gols na Alemanha, vira herói e põe Itália na final da Eurocopa

O camisa 9 do Manchester City chegou a ser relegado à reserva da Itália na primeira fase, mas recuperou o posto de titular

Mario Balotelli mostrou nesta quinta-feira que é muito mais que polêmico, irreverente e bad boy. Diante da favorita e badalada Alemanha no Estádio Nacional de Varsóvia, o atacante assumiu o status de artilheiro e decisivo ao brilhar no primeiro tempo e garantir a vitória por 2 a 1 da Itália sobre os germânicos e classificar a equipe tetracampeã mundial na final da Eurocopa de 2012 pela primeira vez após 12 anos.

O camisa 9 do Manchester City chegou a ser relegado à reserva da Itália na primeira fase, mas recuperou o posto de titular e, diante da Alemanha, não desperdiçou as oportunidades que teve. De cabeça aos 19min e com um chute no ângulo aos 35min da etapa inicial, Balotelli derrubou a seleção de Joachim Löw e impediu que a final da Euro de 2008 fosse reeditada entre Alemanha e Espanha.

A Itália, que já havia eliminado a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2006, agora terá a oportunidade de fazer revanche contra a Espanha, sua algoz nas quartas de final da última edição da Eurocopa. Naquela ocasião, os espanhóis seguiram adiante no torneio com um triunfo nos pênaltis, após empate sem gols no tempo normal e na prorrogação.

A classificação italiana na capital polonesa começou a se configurar aos 5min do primeiro tempo, quando o meio-campista Andrea Pirlo salvou em cima da linha uma cabeçada de Hummels. A Alemanha, ainda assim, seguia pressionando, mas não tinha tanta facilidade para penetrar na defesa adversária como nas últimas partidas.

Melhor para a Itália, que jogou no erro do adversário e tirou proveito do faro de gol de Balotelli. O camisa 9 soube encontrar um buraco na defesa germânica aos 19min do primeiro tempo e subiu praticamente livre na pequena área para escorar de cabeça um cruzamento de Cassano da esquerda. O goleiro Manuel Neuer, pego no contrapé, nada pôde fazer.

A Alemanha, então, passou a se aventurar mais no ataque para tentar sair do primeiro tempo com pelo menos um empate. Contudo, uma superexposição do time germânico custou o segundo gol da Itália. Montolivo, atrás da linha do meio de campo, fez um lançamento longo e preciso para Balotelli, que dominou sozinho, avançou e sequer deu chances para Neuer com um chute forte no ângulo.

Balotelli, que se sente perseguido por todos os lados, não deixou barato as críticas que recebeu recentemente. Ao fazer o 2 a 0, nem se importou com o cartão amarelo que receberia da arbitragem: tirou a camisa, fez pose de musculoso e cara de mau. Não sorriu.

Quem tampouco tinha por que sorrir era a equipe alemã, que foi para o intervalo em desvantagem e não conseguiu tirar a diferença no segundo tempo. A melhor chance ofensiva da equipe germânica saiu aos 15min, com uma falta de Kroos que exibiu esforço de Buffon, que espalmou e manteve os italianos em situação tranquila.

A Itália ainda se deu ao luxo de desperdiçar inúmeras oportunidades de sair de campo com um placar mais elástico que o 2 a 0 - mas, sem o oportunismo de Balotelli (substituído na metade da etapa), o placar só se alterou a favor dos germânicos, aos 46min: depois de muito insistir, a Alemanha conseguiu um pênalti após Balzaretti dominar com o braço.

Özil bateu, descontou e inflamou o time alemão - a ponto de Neuer deixar o gol e se tornar um voltante. A pressão, porém, não resultou naquele que seria um histórico empate para a Alemanha.

Os italianos, agora, disputarão no próximo domingo a terceira final do país na competição - as outras foram em 1968 (ano do único título do país na Euro) e em 2000 (a França saiu campeã). A decisão está marcada para as 15h45 (de Brasília) em Kiev, capital ucraniana.

Ficha técnica

ALEMANHA 1 x 2 ITÁLIA

Gols

ALEMANHA:

Özil, aos 46min do 2º tempo

ITÁLIA:

Balotelli, aos 19 e aos 35min do 1º tempo

ALEMANHA: Neuer; Boateng, Hummels, Badstuber e Lahm; Khedira, Schweinsteiger, Kroos e Ozil; Podolski (Reus) e Mario Gomez (Klose)

Treinador: Joachim Löw

ITÁLIA: Buffon; Balzaretti, Bonucci, Barzagli e Chiellini; Pirlo, De Rossi, Marchisio e Montolivo (Thiago Motta); Cassano (Diamanti) e Balotelli (Di Natale)

Treinador: Cesare Prandelli

Cartões amarelos

ITÁLIA: Bonucci, De Rossi e Thiago Motta

Árbitro

Stéphane Lannoy

Local

Estádio Nacional de Varsóvia (Polônia)

Fonte: Terra