Botafogo encara o Vitória e busca vaga para as 4ª de final da Copa do Brasil

Por conta do peso decisivo da partida após o fracasso contra o Tricolor, o técnico Oswaldo de Oliveira reconhece que a cobrança já é outra.

Com a ferida aberta diante da goleada por 4 a 1 para o Fluminense, o Botafogo deixa o Carioca de lado e vai em busca de amenizar a dor em outra decisão: o jogo de volta com o Vitória pelas oitavas de final da Copa do Brasil, às 19h30, no Engenhão. Em Salvador, o placar ficou em 1 a 1 e os resultados que interessam ao Glorioso são empate sem gols ou vitória.

Por conta do peso decisivo da partida após o fracasso contra o Tricolor, o técnico Oswaldo de Oliveira reconhece que a cobrança já é outra.

?A pressão aumenta, mas isso é normal. Nós temos que saber conviver com isso e estar preparados. É isso que eu falo para os meus jogadores, e nessa sala (de entrevistas), eles ouviram isso de mim. Essa é a nossa profissão?, disse o treinador, acostumado a superar situações adversas.

?Nós vivemos uma gangorra entre a euforia e a depressão. Temos que saber dosar esses dois níveis para manter a equipe equilibrada?, completou o treinador.

Uma suposta instabilidade psicológica do elenco também foi rechaçada pelo técnico, apesar de aquela ter sido a primeira derrota do grupo no ano.

?Nós não tínhamos perdido ainda, mas tivemos momentos adversos, como no empate contra o Madureira. É claro que um ou outro tem comportamento diferente, mas tenho certeza de que na hora de começar o jogo todos estarão muito bem?, garantiu.

Para o confronto com o Vitória, Oswaldo deve repetir o time que enfrentou o Fluminense, mantendo Loco Abreu, que vinha sendo preservado de algumas partidas.

?Com o caráter tão decisivo, eu prefiro usá-lo. Semana passada ele voltou a sentir dores, mas está melhor. Se estiver apto, o Abreu vai iniciar o jogo?, explicou o treinador, que não poderá contar com os lesionados Andrezinho e Jobson.

A novidade será a presença de Vitor Júnior no banco de reservas. Nesta terça-feira, Oswaldo teve uma conversa com o meia-atacante, que ele mesmo indicou por conhecê-lo do Japão.

Por conta da maratona de jogos decisivos, o elenco alvinegro principal fez apenas um trabalho na academia. No campo, Jefferson treinou pênaltis e teve um bom desempenho. Em Salvador, o Vitória também aperfeiçoou as cobranças, caso a partida termine empatada em 1 a 1.

Fonte: Lancepress!