Brasil bate Estados Unidos fácil e mantém invencibilidade

Após três vitórias em casa, seleção feminina embarca para Macau

 A seleção dos Estados Unidos exigia respeito. Mesmo renovada, tinha no comando Hugh McCutcheon, medalhista de ouro - no masculino - nos Jogos de Pequim, e seu assistente, Kiraly, duas vezes campeão olímpico na quadra e uma na praia. Porém, neste domingo, no Maracanãzinho, na última rodada da primeira fase do Grand Prix, o peso dos títulos dos americanos não intimidou as campeãs olímpicas.

Mesmo sonolenta, a equipe aplicou 3 sets a 0, com parciais de 25/18, 25/22, 25/13. Com três vitórias em três jogos, a seleção de Zé Roberto deixa o Brasil como líder do Grupo A. Ainda neste domingo, embarca para Macau, onde joga no próximo fim de semana, pelo Grupo E, contra Tailândia, Polônia e China.

A fase final do Grand Prix será no Japão, entre os dias 19 e 23 de agosto. O Brasil entrou em quadra desatento, permitindo que os Estados Unidos abrissem dois pontos. Das atacantes brasileiras, somente a ponteira Mari estava conseguindo virar as bolas. Assim, a equipe americana foi mantendo a diferença no marcador. Um erro de Sassá aumentou a vantagem adversária para três pontos: 6/3. Logo em seguida, Thaísa foi bloqueada, e as americanas fizeram 7/3. O técnico José Roberto Guimarães, nervoso com o que via, pedia atenção às jogadoras, que buscaram a reação.

Com a rede marcada, a central dos Estados Unidos isolou a bola e deixou tudo igual no Maracanãzinho: 13/13. Mas o Brasil ainda continuava sonolento. Até o 14º ponto, apenas Mari havia pontuado no ataque. Porém, uma bola dividida na rede levantou os ânimos das brasileiras, que viraram para 16/15 e não perderam mais a frente. Sassá colocou duas belas paralelas e deu a vez para Nathália entrar em quadra, conseguindo dois bons bloqueios. Sheilla, apagada no primeiro set, apareceu quando solicitada pela levantadora Dani Lins, e a seleção fechou em 25/18.

Com a reação brasileira no fim do primeiro set, a impressão que dava era de que a segunda parcial seria tranquila. Mas o panorama foi idêntico ao do set anterior. Os Estados Unidos saíram na frente, e o Brasil só acordou quando o placar já apontava 19/18 para as rivais. Zé Roberto fez a inversão de 5-1 (colocou Joycinha e Ana Tiemi no lugar de Dani Lins e Sheilla) para aumentar a rede e tentar empatar, mas não obteve sucesso. Desfez a ação e seguiu com as titulares.

Na casa dos 20 pontos, o período ficou bastante disputado. As seleções se alternaram no marcador. Porém, um belo saque de Sassá selou o set para o Brasil: 25/22. As meninas mostraram ter acordado de vez no terceiro set. Chegaram a vacilar nos instantes iniciais, mas depois mantiveram a concentração até o fim. As atacantes tiveram uma melhor apresentação, principalmente Nathália, que entrou no lugar de Sassá. Mari continuou sendo o destaque do time, somando 12 pontos. Com mais facilidade na parcial, as brasileiras fecharam a partida em 25/13.

Fonte: Globo Esporte