Brasil é dominado e perde a final do Grand Prix para os EUA

Brasil é dominado e perde a final do Grand Prix para os EUA

Grupo se despede de Macau com o vice-campeonato, em desempenho que repete a última edição.

O Brasil entrou na final do Grand Prix com campanha impecável: 13 vitórias em 13 jogos disputados. No entanto, a seleção feminina foi dominada pelos Estados Unidos na final e teve sua invencibilidade encerrada justamente na decisão. Sem vencer um set sequer neste domingo, as comandadas de José Roberto Guimarães perderam com parciais de 26-24, 25-20 e 25-21 e se despedem de Macau com o vice-campeonato, em desempenho que repete a última edição.

No ano passado, o sistema de disputa era distinto. Os seis classificados para a fase final jogavam entre si em uma única chave e o melhor colocado após cinco jogos levava o título. Desta vez, o Grand Prix foi decidido no mata-mata. Mas o Brasil sucumbiu diante dos Estados Unidos e repete o pódio de 2010. A única diferença será a presença da Sérvia, que venceu a Rússia na disputa pelo bronze.

As brasileiras já haviam cruzado com as adversárias da final. E as algozes deste domingo haviam sido um dos poucos times a vencer uma parcial do Brasil durante o Grand Prix na derrota norte-americana por 3 a 1. E as comandadas de Zé Roberto entraram em quadra embaladas pela convincente vitória sobre a Rússia, da carrasca Gamova, e pela campanha invicta.

Mas os Estados Unidos começaram melhor a partida. O bloqueio fez a diferença e as norte-americanas abriram logo seis pontos de vantagem (11-5). Natália teve boa passagem pelo saque e deixou o Brasil colado no placar (12-10). A ponteira Logan Tom respondeu e também obteve sequência proveitosa no serviço e novamente deixou as rivais bem à frente. A equipe verde-amarela chegou a virar o marcador (18-17), mas cedeu contra-ataque em momento decisivo e sucumbiu: 26-24.

O segundo set foi marcado pela alternância inicial no placar. Mas, após o segundo tempo técnico, os Estados Unidos encaixaram o saque e a seleção brasileira passou a sofrer com a recepção. As vice-campeãs olímpicas, então, abriram quatro pontos (19-15) e seguraram a vantagem até fechar em 25-20.

O Brasil não conseguiu repetir o desempenho demonstrado ao longo da competição e o poder de decisão ficou para trás. Na semifinal, as comandadas de Zé Roberto foram buscar a vitória mesmo com oito pontos atrás no marcador. Na final, esbarraram em um Estados Unidos com bom volume de jogo e a principal atacante Destinee Hooker inspirada. O resultado: 25-21 e a primeira derrota no Grand Prix justamente no jogo que custou o título.

Fonte: UOL