Brasil sofre, mas vira 4º set e bate Alemanha no Grand Prix de Vôlei Feminino

Brasil sofre, mas vira 4º set e bate Alemanha no Grand Prix de Vôlei Feminino

Seleção Brasileira conquistou a segunda vitória no Grand Prix

A Seleção feminina de vôlei teve mais dificuldades na sua segunda partida no Grand Prix 2011, contra a Alemanha. Depois de vencer bem o Japão, as brasileiras sofreram um pouco no segundo e quarto sets, mas contaram com a ótima partida da levantadora reserva Fabíola, que entrou em um momento decisivo e ajudou a equipe a vencer por 3 a 1, em parciais de 25/21, 23/25, 25/15 e 25/23.

Fabíola entrou na partida apenas durante o quarto set, mas foi a principal responsável pela virada da equipe na metade da parcial, principalmente no setor defensivo. Ela substituiu bem a titular Dani Lins, que não teve uma boa partida nos três primeiros sets - ainda que o Brasil tivesse vencido parcialmente por 2 a 1 - e trouxe um novo fôlego para o time que até então jogava não tão bem, conseguindo inclusive três pontos de bloqueio.

O principal destaque brasileiro durante todo o jogo, no entanto, foi Sheilla. Regular, ela anotou 21 pontos e foi a principal pontuadora da partida. Paula Pequeno também teve uma ótima jornada, com 16 pontos anotados, seguida de Mari, com 14. Pelo time alemão, Margareta Kozuch anotou outros 16 pontos.

No próximo jogo, o Brasil enfrentará a Coreia do Sul, as donas da casa que perderam as suas duas partidas na competição até aqui. A partida será na madrugada de sábado para domingo, às 2h (horário de Brasília).

O JOGO - No primeiro set, as brasileiras se mantiveram à frente no placar durante todo o período, mas não conseguiram deslanchar como na partida anterior, contra o Japão. No primeiro tempo técnico, o time teve vantagem de dois pontos, e no segundo, de apenas um. No entanto, no final do set, as comandadas do técnico José Roberto Guimarães conseguiram fechar a parcial em 25 a 21, após 26 minutos de bola rolando.

No segundo set, no entanto, as alemães reagiram e impuseram seu ritmo de jogo sobre o Brasil, que não jogava bem. Zé Roberto promoveu mudanças no time, como as entradas de Sassá, Fernanda e Tandara, mas as alterações não surtiram o efeito esperado, e a vitória foi da equipe europeia por 25 a 23.

Na terceira parcial, o treinador brasileiro voltou a colocar as titulares em quadra, e elas conseguiram recuperar a boa forma com larga vantagem principalmente na metade final do set. Tandara entrou novamente, e ajudou o Brasil a vencer o set por 25 a 15, indo com força para a quarta parcial.

O quarto set, no entanto, voltou a ser complicado para as brasileiras, com as alemãs na frente na primeira e segunda paradas técnicas. Dani Lins, que não fazia uma boa partida, foi substituída por Fabíola - que não jogou nesta sexta-feira, contra o Japão. A reserva melhorou no ataque e principalmente na defesa, sendo o nome da virada após o segundo tempo técnico, e fez o time brasileiro alterar o placar de um desfavorável 17 a 15 para um 25 a 23, fechando o jogo em uma hora e 51 minutos de partida.

Fonte: Terra, www.terra.com.br