Vôlei: Brasil supera a invicta Alemanha e vence Copa do Mundo

Vôlei: Brasil supera a invicta Alemanha e vence Copa do Mundo

Fernanda Garay torce o tornozelo direito e sai de quadra carregada

No terceiro dia da Copa do Mundo, o Brasil consegue sua primeira vitória de peso. Com uma bela atuação de Thaisa, maior pontuadora do jogo, as meninas do técnico José Roberto Guimarães fizeram 3 sets a 1 (25/21, 23/25, 25/23 e 25/21) e quebraram a invencibilidade da Alemanha.

O único momento preocupante do dia foi a lesão de Fernanda Garay, que torceu o tornozelo direito durante o segundo set e teve de deixar a quadra carregada, às lágrimas. Ela fez tratamento à base de gelo no local e não voltou para a partida. Até o fim do jogo, não havia informações sobre sua continuidade na competição.

A seleção brasileira feminina estreou na competição na sexta-feira com derrota para os Estados Unidos, mas venceu seu segundo desafio no Japão com uma tranquila vitória sobre a fraca equipe do Quênia. Com o resultado deste domingo, o Brasil fica com seis pontos, mesmo número da Alemanha. A Itália, invicta após três partidas, tem oito e lidera. Os Estados Unidos (duas vitórias em dois jogos), que ainda jogarão no domingo contra a Coreia do Sul, têm seis e podem chegar a nove pontos e retomar a liderança.

Brasil melhor nos momentos decisivos

O time brasileiro começou bem, tomando a dianteira logo no começo do primeiro set, mas as alemãs reagiram. Aproveitando-se de um mau momento do ataque brasuca, o time europeu conseguiu a virada e assumiu a liderança com 14/13.

O jogo seguiu parelho até 21/21, quando o time alemão começou a errar. Primeiro, perdeu a vantagem com um erro da levantadora Weiss. Depois, um bloqueio de Fabiana e Dani Lins deixou o Brasil à frente por 23/21. Um ataque para fora de Grun e outro bloqueio das brasileiras deram números finais à parcial: 25/21.

Fernanda Garay dá susto

O segundo set também foi parelho, mas as alemães estiveram sempre à frente. Com um contra-ataque de Brinker, o time europeu abriu 14/9, maior vantagem em toda a parcial. Dois pontos depois, o Brasil sofreu outro baque. Fernanda Garay torceu o tornozelo direito ao descer de uma tentativa de bloqueio e saiu de quadra carregada, chorando.

As brasileiras ainda encostaram no placar quando Paula Pequeno explorou um bloqueio e Kozuch jogou um ataque na rede. O placar ficou em 22/21, e Paula teve a chance de empatar em um contra-ataque, mas a defesa alemã funcionou bem. Foi a última chance do Brasil. Por 25 a 23, o time europeu fechou o set e empatou a partida.

Thaisa aparece bem no bloqueio

A terceira parcial foi a mais dura e ninguém conseguiu abrir vantagem até perto do segundo tempo técnico. Só quando Grun jogou um ataque na rede é que o Brasil teve 16/13, maior diferença no placar até então.

A Alemanha, no entanto, conseguiu igualar o placar em 17/17 depois de bloquear Sheilla e aproveitar um contra-ataque com Grun. Foi aí que os bloqueios de Thaisa fizeram a diferença. A meio-de-rede conseguiu três pontos seguidos no fundamento, deixando o Brasil novamente à frente - agora por 21/17.

A vantagem, que parecia definitiva, foi-se rapidamente. Um bloqueio em cima da própria Thaisa, um erro de recepção de Sassá e um contra-ataque de Brinker colocaram a Alemanha de volta no jogo: 22/22. Entretanto, a mesma Brinker que empatou o jogo falhou quando não podia. Jogou um ataque para fora e deu dois set points para as brasileiras.

Na segunda chance, Paula Pequeno atacou e viu a defesa oponente mandar a bola para a arquibancada. Por 25/23, o Brasil ficou à frente outra vez.

A vantagem de 2 sets a 1 deixou as brasileiras ainda mais à vontade, e as alemãs não tiveram chance no quarto set. Com o placar em seu favor desde os primeiros pontos, o Brasil manteve seu jogo sólido durante toda a parcial e, por 25/12, selou o triunfo.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com