Brasileiro é expulso, e torcida do próprio time imita macaco na Espanha

O episódio envolvendo Paulão não é um caso isolado de preconceito racial no futebol

O zagueiro Paulão foi alvo de racismo durante o clássico entre Sevilla e Betis, pela 14ª rodada do Campeonato Espanhol, neste domingo. Ele foi expulso aos 41min do primeiro tempo pelo segundo amarelo. Enquanto o jogador do Betis deixava o campo, a própria torcida do time do brasileiro começou a imitar macaco para ofendê-lo.

Logo após a saída do zagueiro, o Sevilla, equipe mandante, não teve dificuldade para aplicar um 4 a 0 sobre o rival local, último colocado no torneio.

O episódio envolvendo Paulão não é um caso isolado de preconceito racial no futebol. No mês passado, o volante Yayá Toure, do Manchester City, escutou cânticos e xingamentos contra sua cor de pele, no duelo contra o CSKA, pela Liga dos Campeões. A Uefa agiu, fechando parcialmente o estádio do clube russo na competição, enquanto o marfinense ameaçou boicotar o Mundial de 2018, justamente na Rússia.

Balotelli, Kevin-Prince Boateng, Daniel Alves, Marcelo e Betão são outros exemplos de jogadores já sofreram racismo no futebol europeu.

Paulão está no Betis desde 2012. Antes, atuou pelo Atlético-MG, América-MG, Gama, Naval, Braga e Saint-Étienne.

Fonte: Terra