Bruno quer assumir paternidade e pagar pensão a filho com Eliza

“A pensão será estipulada em 10% sobre todos os ganhos e bens do jogador, divididos pelos três filhos”, adiantou o advogado.

O goleiro Bruno deve reconhecer legalmente que é pai do filho de Eliza Samudio, sua ex-amante, morta em 2010. Segundo o advogado Rui Pimenta, responsável pela defesa do jogador, o reconhecimento será feito por escritura pública, nesta sexta-feira, junto à Vara da Família da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.


Bruno quer assumir paternidade e pagar pensão a filho com Eliza

?A pensão será estipulada em 10% sobre todos os ganhos e bens do jogador, divididos pelos três filhos?, adiantou o advogado de defesa, Rui Pimenta.

Bruno é acusado de ter matado Eliza Samudio, com quem teve um filho. O menino de 2 anos e meio de idade está sob a guarda provisória da avó materna, Sonia Fátima de Moura.

A mãe de Eliza Samudio, por sinal, mostrou surpresa e apreensão ao saber que o goleiro tem a intenção de reconhecer a paternidade do neto e, inclusive, que pode deixar a prisão em algumas semanas.

?Estou apreensiva. Se ele sair, será que tentará uma aproximação comigo, com meu neto? O que vai acontecer?? perguntou a avó.

Sonia ficou sem palavras quando recebeu a notícia de que seu neto terá ?uma pensão alimentícia de 3,3% sobre os ganhos e bens de Bruno?, como antecipou o advogado do jogador.

?Não sei o que dizer, fui pega de surpresa. É melhor falar com minha advogada que entende bem dessa ação familiar?.

A advogada de Sonia, Maria Lúcia Gomes, não respondeu à ligação feita ao celular pela reportagem.

Segundo o advogado do goleiro, o reconhecimento da paternidade deve colocar fim à ação familiar que tramita na 2ª. Vara da Família, na Barra da Tijuca, desde 2009, quando Eliza Samudio descobriu que estava grávida.

?Houve um erro naquela ação porque Eliza estava grávida e não havia como julgar o mérito de uma pensão alimentícia para uma criança ainda não nascida?, disse Pimenta. ?O Ministério Público argumentou por uma pensão gravítica (que beneficia a mãe durante a gravidez)?.

O goleiro Bruno é acusado de homicídio triplamente qualificado, sequestro e ocultação de cadáver de Samudio. Além dele, outras sete pessoas estão envolvidas no crime, segundo a Justiça. O caso tramita em Minas Gerais, onde o crime aconteceu, em junho de 2010, e ainda não tem data para ser julgado pelo Tribunal do Júri de Contagem.

Das sete pessoas denunciadas, apenas três estão presas, incluindo Bruno. As demais aguardam o julgamento em liberdade.

?Sexta-feira (11) vou registar em cartório a escritura pública de reconhecimento do filho de Bruno com Eliza Samudio. Independentemente de qualquer resultado de julgamento criminal, ele quer repassar aos três filhos 10% do que ganhar como jogador profissional?, explicou o advogado Pimenta.

Além disso, o advogado de Bruno tentará libertar seu cliente nas próximas semanas, em audiência plenária do Supremo Tribunal Federal.

?Nesta terça-feira, o STF negou a liminar do habeas corpus, preferindo julgar o mérito em algumas semanas. Foi bom negarem a liminar, porque os ministros terão de estudar o caso mais profundamente, quando houver a sessão plenária. Bruno será solto por questão jurídica e aguardará o julgamento em liberdade?, disse o defensor.

A diretoria do Flamengo admitiu na última quarta-feira que pode receber Bruno de volta, desde que a situação do jogador seja esclarecida pelo Supremo Tribunal Federal.

Fonte: UOL