Button diz que só fica na F1 caso tenha carro para ser competitivo

Em entrevista a site especializado, piloto não garante permanência

Aos 36 anos, sendo 16 deles dentro da Fórmula 1, e detentor do título mundial em 2009, Jenson Button já dá pistas de que seu tempo na principal categoria do automobilismo está com os dias contados.

Em entrevista ao portal F1i, o britânico garante que só continuará pilotando em 2017 caso tenha um carro competitivo no grid. E, com contrato com a McLaren até o fim desta temporada, ele não colocou a permanência na escuderia como única possibilidade caso continue correndo.

- Eu acho que muito do que acontecer nesse ano vai influenciar o que eu quero no ano que vem. Como eu vou sentir como estarão os carros. Eu tenho uma boa ideia como vão estar os carros no próximo ano, mas eu quero estar em uma posição em que possa ser competitivo e lutar por bons resultados - pelo menos estar no meio - e é isso que vai me manter no esporte (...) Minha cabeça está voltada para ser competitivo no ano que vem e desfrutar de estar correndo. E também ter a possibilidade de ver os líderes pelo menos. Eu gostaria muito de continuar aqui e espero que a equipe esteja nessa situação - afirmou o britânico. 

A frustração do piloto na McLaren se deve ao fato de a equipe estar sempre próxima aos últimos lugares do grid. Mesmo com Button e Fernando Alonso, dois campeões mundiais, a escuderia só somou 27 pontos em 2015, à frente apenas da pequena Manor, que não pontuou. Na atual temporada, houve uma ligeira melhora, mas o melhor resultado até agora foi em Sóchi, com o sexto lugar do espanhol e o décimo do britânico. Assim, Button veria com bons olhos uma transferência para, quem sabe, a Mercedes, atual bicampeã com Lewis Hamilton.

- Qualquer ser humano que gosta de carros de corrida diria "sim" para isso porque é o carro mais rápido por um segundo de vantagem. Então, qualquer piloto que seja apaixonado pela Ferrari ou odeie a Mercedes, ele ainda vai dirigir esse carro porque é a melhor chance de ser campeão mundial. Só tem um cara que pode batê-lo, então... - explicou Button.

Jenson Button em ação pela McLaren na atual temporada (Crédito: Getty)
Jenson Button em ação pela McLaren na atual temporada (Crédito: Getty)

Ele garante, inclusive, que hoje em dia é um piloto melhor do que era quando foi campeão mundial de Fórmula 1 em 2009, quando dirigia pela Brown.

- Sim, eu sou. Ganhei mais experiência. Me encontrei em situações em que estava sob maior pressão, especialmente em 2009. O único jeito de julgar isso é que perdi um pouco de reação e ganhei experiência. Então, não há razão para dizer mais nada, eu devo ser um piloto melhor. Meu físico é melhor do que quando tinha 29, eu entendo melhor como é um carro de Fórmula do que naquela época e vivi mais experiência. Então, eu devo mesmo ser um piloto melhor.

Fonte: Com informações do GloboEsporte.com