Com forte influência, Ceni não gosta de Alexandre Pato e Muricy terá que administrar esse conflito

Com forte influência, Ceni não gosta de Alexandre Pato e Muricy terá que administrar esse conflito

O treinador terá que administrar uma situação complicada após a chegada do atacante.

Obviamente, a contratação de Pato passou pelo crivo de Muricy Ramalho.

O treinador terá que administrar uma situação complicada após a chegada do atacante.

Ele sabia disso quando aprovou o negócio.

Ceni é o líder do elenco.

Tem grande influência e livre trânsito no CT da Barra Funda, pois trabalha faz mais de 20 anos lá. O local é quase uma extensão da casa do goleiro.

O camisa 01 não gosta de Pato.

Foi provocado depois de o atacante converter o pênalti na semifinal do paulistinha do ano passado.

Fica clara uma situação:

Em tais circunstâncias, quem chega deve se adaptar ao novo ambiente. Funciona assim em qualquer empresa.

Pato terá que ganhar a confiança do veterano e não conseguirá fazê-lo apenas com palavras.

Rogério é extremamente competitivo, detesta perder, e quer ganhar títulos antes de terminar a carreira.

Tem vivência o bastante para entender quando um colega está concentrado no trabalho ou jogando para a galera nas entrevistas.

Apenas com muita garra, dedicação, seriedade, concentração no futebol e resultados dentro de campo Pato ganhará a confiança e o respeito do goleiro.

Garra, seriedade e concentração são exatamente as virtudes que faltam ao ex-atleta do Inter, Milan e Corinthians.

Se não fosse Muricy Ramalho o treinador são-paulino, eu diria que a chegada de Pato destruiria de vez o já combalido espírito coletivo da equipe.

Como o treinador tem enorme apoio da torcida e muito respeito dentro do São Paulo, pode usar sua força para lidar com a situação.

Fundamental:

Só conseguirá fazer isso caso Pato mude a forma de agir.

Fonte: UOL