Cesar Cielo triunfa nos 100m livre e nos 50m borboleta em torneio

Cesar Cielo triunfa nos 100m livre e nos 50m borboleta em torneio

Campeão olímpico estreia vencendo em competição em piscina curta de 25 metros

De volta às competições em piscina curta de 25m, Cesar Cielo estreou com vitória no Torneio Metropolitano de natação, que começou nesta sexta-feira, em Belo Horizonte. No parque aquático do Minas, o campeão olímpico foi o mais rápido nas provas dos 100m livre e dos 50m borboleta. Neste sábado, o nadador compete nos 50m livre e nos 100m borboleta.

Nos 100m, Cielo completou a prova em 47s19. Já nos 50m borboleta, ele conquistou a medalha de ouro com um tempo de 22s74. Preparando-se para o Mundial em piscina curta, em dezembro, no Catar, ele reconheceu que encontrou alguma dificuldade em nadar em uma piscina de 25m.

- Foi bem diferente do que estou acostumado a nadar em piscina longa.Tinha pensado em nadar para 46s9, então, ficou por pouco. Mas o principal que dá para tirar dessa prova é que preciso melhorar a virada e alguns detalhes que contam em piscina curta para conseguir tirar tempos melhores e ir bem no Finkel - comentou o nadador, que compete no Finkel, em Guaratinguetá (SP), de 1 a 6 de setembro, valendo vaga para o Mundial do Catar.

- Amanhã nado os 50m livre, e é dia de entrar com um pouco mais de responsabilidade, um pouco mais de pressão. Quero ver como estou na prova que pretendo nadar no Mundial - destacou.

Cielo não competia em piscina curta desde o José Finkel de 2012, já que a sua temporada de 2013 foi dedicada à piscina olímpica e ao Mundial de Barcelona, onde conquistou o tricampeonato dos 50 m livre e o bicampeonato dos 50 m borboleta.


Cesar Cielo triunfa nos 100m livre e nos 50m borboleta do Metropolitano

A primeira medalha de Cielo em um Mundial veio em piscina curta, em Indianápolis, em 2004, uma prata com o revezamento 4x100m livre do Brasil. Ele também tem dois ouros individuais conquistados em Dubai, nos Emirados Árabes, com recordes sul-americanos nos 50m livre (20s51) e nos 100m livre (45s74), os quais ainda perduram, além de um bronze, na mesma edição, com o revezamento 4x100m livre.

Fonte: G1