Chelsea chama atacante Neymar de "louco"

Chelsea chama atacante Neymar de "louco"

Para o atacante de 18 anos, a alegria de atuar no Brasil

A recusa de Neymar diante da proposta do Chelsea, da Inglaterra, fez os representantes do clube inglês definirem a jovem promessa como "um louco". Nesta sexta-feira, o empresário Wagner Ribeiro disse que o clube inglês estava preparado para pagar a multa rescisória e confirmar a contratação com valores muito acima do padrão brasileiro.

"Eles não chegaram a fazer a proposta final, mas tive a autorização deles para fazê-la. Quando o Neymar deu a palavra final, fui ao hotel em que eles estavam hospedados em São Paulo para dizer o motivo. O que pesou foi o sonho do jogador", contou o empresário, ao Sportv. A reação dos representantes do clube inglês, segundo Ribeiro, foi de incredulidade.

"Eles falaram que esse era o único louco que rejeita uma proposta com valores estupidamente maiores do que os do mercado brasileiro", contou. O "não" do atleta ganhou repercussão internacional e serviu para o presidente do Santos, Luís Álvaro Ribeiro, exaltar o projeto do clube. Ele reafirmou que as propostas sempre foram recusadas.

"O Neymar é santista como eu e até agora está tudo dando certo, ganhamos dois títulos esse ano (Paulista e Copa do Brasil). Não havia por que mudar o rumo da história", disse o mandatário. Neymar Silva Santos, pai do jovem atacante, concordou: "O Neymar sonha desde muito cedo. Temos aqui tudo para dar certo". afirmou.

Além de confirmar a permanência, o clube aumentou o valor da multa rescisória de 35 milhões de euros (os quais o Chelsea estava pronto para desembolsar), para 45 milhões (R$ 101 milhões). O atleta ganhou um aumento salarial "sem fugir da política do clube", segundo o presidente Luís Álvaro. Wagner Ribeiro e Neymar Silva Santos minimizaram a importância do dinheiro.

"Quando estava acertando os detalhes (da renovação), chamei o Neymar no canto e perguntei: "você está feliz?", e ele respondeu: "muito". "Acabou. Dinheiro não é tudo na vida", contou o empresário. "Se a situação está estabilizada, você não precisa de mais do que seus R$ 10 no bolso para tomar uma cerveja", complementou o pai do atacante santista.

Fonte: Terra, www.terra.com.br