Chute de Ouro: Maxi Biancucchi faz gol a cada três finalizações

Chute de Ouro: Maxi Biancucchi faz gol a cada três finalizações

Artilheiro do Brasileirão ao lado de William, atacante do Vitória é o mais certeiro do campeonato. Ricardo Goulart e Vargas também se destacam

Caiu no pé de Maxi Biancucchi é gol. Cirúrgico nas finalizações, o argentino se tornou o artilheiro do Campeonato Brasileiro com uma média de dar inveja a qualquer centroavante: a cada 2,9 finalizações ele manda uma para a rede adversária. Diante do Fluminense, ele comprovou seu incrível aproveitamento, algo que o Espião Estatístico, já observava, e na primeira conclusão a gol estufou a rede do Tricolor. Até a 10ª rodada do Brasileirão, ele havia conseguido 20 finalizações e marcado sete gols, com o melhor aproveitamento da competição.

É verdade que o baixo número de finalizações, apesar do alto aproveitamento, é algo que pode preocupar o Vitória. Afinal, é o time que menos chuta ao gol do adversário entre todas as equipes da Série A. Logo, a chance de marcar gols é menor. Na média, o Leão chuta 8,9 vezes por partida. O técnico Caio Júnior, inclusive, demonstrou preocupação com o fato.

- Temos que melhorar esses números relacionados a criação de jogadas ofensivas. Fizemos um primeiro tempo de luxo contra o Fluminense, foi realmente muito bom. Mas estou buscando melhorar o time nesse aspecto. Precisamos criar mais, maas temos uma equipe equilibrada, que fez mais gols do que tomou. Está entre os primeiros colocados justamente por ter equilíbrio - analisou o treinador.

Como comparação a Maxi Biancucchi, o atacante William, da Ponte Preta, que divide a artilharia do Brasileirão com o argentino, aparece com o quinto melhor desempenho quando levado em consideração o aproveitamento das finalizações que se transformaram em gols. O jogador da Macaca precisou de 21 finalizações para fazer seis gols (até a 10ª rodada), média de um gol a cada 3,5 finalizações.

Logo atrás de Maxi aparecem Ricardo Goulart (Cruzeiro), Vargas (Grêmio) e Robinho (Coritiba), que fizeram três gols em dez finalizações, um aproveitamento de 30%. No entanto, o jogador do time mineiro teve mais chutes corretos - na direção do gol - do que os rivais. Vale ainda citar os jogadores que mais chutaram no Brasileirão: Rogério, do Náutico, tinha dado 34 chutes e marcado 3 gols. Logo atrás, Walter, do Goiás, e Rafael Sobis, do Fluminense, com 31 finalizações e um gol marcado cada.

O levantamento considerou apenas os jogadores que já tivessem marcado gols e feito no mínimo dez finalizações até a 10ª rodada. Desta forma, pode-se reduzir as distorções como a de jogadores que conseguiram fazer dois gols em apenas três ou quatro finalizações, casos de Rosinei (Atlético-MG), Bruno Rodrigo (Cruzeiro) e Digão (Fluminense).

Fonte: Globo Esporte