Clima de decisão: final contra o Fla transforma o ambiente na Colina

Clima de decisão: final contra o Fla transforma o ambiente na Colina

A decisão contra o Náutico passou e agora ficou inevitável comentar sobre o Flamengo.

Semana de decisão já é diferente em qualquer clube. No Vasco isto não é diferente. Mas quando o rival é o Flamengo, a Colina fica ainda mais alerta. Mesmo sem ter uma orientação explícita, as atitudes são diferentes. Jogadores, comissão técnica e diretoria tomam cuidados redobrados para evitar dar qualquer tipo de arma para o rivais. Brincadeiras, risadas e a descontração costumeiras não ficam tão explícitas.

No início desta semana, por exemplo, a palavra "Flamengo" foi proibida no clube. Mesmo com tantas perguntas da imprensa sobre a final da Taça Rio, os jogadores pareciam ter ensaiado um discurso em que apenas o Náutico, adversário da última quarta-feira, era analisado. A situação chegou a arrancar risadas das duas partes: dos jornalistas, que insistiam sem parar nas perguntas sobre o rival, e dos jogadores, que normalmente responderiam, mas que conseguiram driblar de todas as maneiras.

A decisão contra o Náutico passou e agora ficou inevitável comentar sobre o Flamengo. A comissão técnica do clube resolveu, então, recorrer a um velho método que há muito tempo não era utilizado: os treinos fechados. O técnico Ricardo Gomes anunciou que todas as atividades até o dia do jogo estarão fechadas para a imprensa na primeira metade. Coincidência ou não, a medida só foi adotada na semana da decisão contra o rival.

As entrevistas fora do clube também estão proibidas, mas neste caso não chega a ser uma novidade em se tratando de semana de clássico. Na quinta-feira, um raro momento de descontração foi a tradicional "ovada" nos aniversariantes Max, que completou 21 anos, e Jumar, que fez 25.

Fonte: Globo Esporte