Clima tenso: Torcida do Vasco cobra e Renato Silva leva ovada

Clima tenso: Torcida do Vasco cobra e Renato Silva leva ovada

Dezenas de vascaínos vão ao Santos Dumont para protestar após derrota para a Ponte Preta, e maioria da delegação deixa o local direto pela pista

O Vasco desembarcou na noite deste domingo em clima tenso depois depois da derrota para a Ponte Preta por 2 a 1, em Campinas, que deixou o time ainda mais ameaçado pelo rebaixamento no Campeonato Brasileiro (veja vídeo com melhores momentos). Dezenas de torcedores compareceram ao aeroporto Santos Dumont para cobrar uma virada do time, que soma 33 pontos e está na 18ª posição. O primeiro rival fora da zona de degola, o Fluminense, tem 36 pontos.

Prevendo a manifestação, foi solicitado reforço no policiamento, e o time embarcou em um ônibus direto da pista para escapar dos protestos. No entanto, o goleiro Alessandro, o zagueiro Renato Silva e o atacante André não seguiram no ônibus e ficaram em uma área reservada do aeroporto. Quase uma hora depois de o avião ter pousado, Renato decidiu sair pelo saguão e foi cercado pelos torcedores. Foi xingado, puxado pela camisa, quase respondeu às ofensas, mas se segurou. Sob gritos de ordem de "Isso aqui é Vasco" e "Tem que respeitar", o jogador saiu escoltado por seguranças particulares, e quando deixava o local foi atingido por um ovo nas costas. Antes de deixar o local, teve o carro chutado.

O presidente Roberto Dinamite também estava no voo com os jogadores. Alguns torcedores passaram de carro em frente ao aeroporto e ensaiaram um buzinaço, hostilizando o mandatário cruz-maltino. Viaturas da polícia militar também foram deslocadas para São Januário, onde supostamente os jogadores pegariam seus carros. Entretanto, alguns atletas deixaram o Santos Dumont em seus veículos, levados ao aeroporto por parentes ou amigos. O ônibus do clube foi para o CFZ, no Recreio dos Bandeirantes, e de lá os demais integrantes do elenco foram para suas casas. Mesmo assim, alguns torcedores permaneceram no aeroporto esperando, já que até por volta das 23h, boatos davam conta de que jogadores ainda permaneciam no saguão interno. O técnico Dorival Júnior chegou num voo que pousou uma hora depois do restante da equipe e também não passou pelo saguão desembarque.

Os que insistiram em permanecer no aeroporto ainda presenciaram o desembarque do ex-jogador Edmundo. Cercado por alguns com pedidos de fotos, ele ouviu os apelos de "você tem que assumir o Vasco". Recentemente ele disse não descartar uma futura candidatura à presidência do clube.

Os torcedores começaram a chegar cerca de uma hora antes do horário previsto para o desembarque. Muitos com camisas do time e de facções organizadas do clube, mas a maioria à paisana. A movimentação foi crescendo com o passar do tempo, e com a notícia de que a delegação poderia passar do avião direto para um ônibus na pista, o grupo se dividiu para tentar cercar todas as saídas e começou a se comunicar por rádios. Começou uma espécie de cerco dos torcedores, com o objetivo de interceptar os jogadores.

O Vasco vive situação delicada no Brasileiro, e os torcedores começam a ficar apreensivos com a ameaça crescente de rebaixamento. O time não vence há quatro partidas, sendo um empate e três derrotas, duas delas contra rivais diretos na briga contra a degola (3 a 2 para o Criciúma no Sul, e a derrota para a Ponte neste domingo). Na outra derrota, para o Goiás, em Macaé, o muro de São Januário foi pichado com palavras de protesto.


Clima tenso na chegada do Vasco: torcida cobra, Renato Silva leva ovada

Fonte: GloboEsporte