Com uma arrancada no finzinho, Grêmio vence Bahia por 3 a 1 e se mantém no G-4

Com uma arrancada no finzinho, Grêmio vence Bahia por 3 a 1 e se mantém no G-4

Em situação completamente oposta, o Bahia cada vez mais vê a permanência na Série A em risco.

Com uma arrancada fulminante nos minutos finais da partida, quando marcou dois gols, o Grêmio venceu o Bahia por 3 a 1 na tarde deste domingo, no Estádio Olímpico, e vai se consolidando como um dos protagonistas do Brasileirão 2012. Ao fim da 14ª rodada, permanece na quarta colocação, agora com 27 pontos, um a mais que o arquirrival gaúcho Inter. Elano abriu o placar na cobrança de um pênalti muito contestado pelo time baiano, mas Fahel empatou na segunda etapa. Aos 42, Souza desempatou de cabeça, e nos acréscimos, com um golaço de cobertura, Marcelo Moreno decretou o triunfo gremista.

- A gente sabia que seria um jogo difícil. Conseguimos marcar o gol e seguir em busca do título ? comemorou Marcelo Moreno.

Em situação completamente oposta, o Bahia cada vez mais vê a permanência na Série A em risco. Continua em 17º, dentro da zona de rebaixamento, com 12 pontos.

- O Bahia é um time que briga bastante. Mais do que marcar, conseguimos jogar bem. Triste pelo resultado, mas valeu a atuação. A gente tem que manter esse tipo de performance ? afirmou o zagueiro Danny Morais.

O próximo compromisso do Bahia é em casa, no Pituaçu, contra a Portuguesa, na quarta, às 20h30m (de Brasília); o Grêmio joga no dia seguinte, às 21h, visitando a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli

Ataque contra a defesa

Com a bola rolando, as estratégias para o confronto também se mostraram nitidamente opostas. O Grêmio se espalhava no campo adversário, trocando passes próximos a área. Ao Bahia, a orientação era de marcar atrás da linha de meio-campo e somente sair ?na boa? para os contra-ataques.

Nesse quadro, a primeira chance da partida foi para os baianos. Pela ponta esquerda, aos sete minutos, Júnior roubou bola de Gilberto Silva e, quase sem ângulo, de dentro da área, arriscou um chute cruzado. A bola passou com perigo à frente do gol de Marcelo Grohe.

A partida era dura, chata de se ver, com poucas chances. Com marcação-pressão, restou paciência ao elenco gremista para conseguir abrir o placar. Primeiro, aos 28, Marcelo Moreno recebeu dentro da grande área, mas bateu mascado para fora. Pouco depois, aos 31, Kleber foi derrubado na área por Titi, o que gerou muita reclamação do elenco baiano. Mas a arbitragem já havia anunciado o pênalti. Elano não desperdiçou e abriu o placar.

O lance indicou um problema crônico no Bahia. Trata-se da equipe que mais cometeu pênaltis no Brasileiro. São cinco, no total. Já o Grêmio teve três penalidades a favor na competição e, neste domingo, converteu pela primeira vez.

O gol desorganizou o time visitante. Aos 33, Ávine saiu jogando errado, e Elano avançou com liberdade. Quando estava próximo a área, o camisa 7 viu Marcelo Lomba sair da meta e tentou por cobertura. M as a batida saiu mal, displicentemente para longe do gol.

Bahia se assanha

Como a retranca no Olímpico já não funcionava mais, Caio Júnior teve de alterar o sistema tático. Colocou Lulinha na vaga de Ávine, recuando Hélder para a lateral esquerda. O Bahia não venderia fácil o resultado. E o que se viu foi um segundo tempo repleto de emoção.

Lulinha estrou com tudo. Logo na primeira jogada, emendou velocidade pelo lado esquerdo, passou pro Werley e obrigou Marcelo Grohe a fazer grande intervenção.

Mas o Grêmio não queria se arriscar a segurar o perigoso 1 a 0. Queria de todo jeito ampliar o placar ? o que quase aconteceu por duas vezes. Aos cinco minutos, Edilson encontrou um corredor aberto na ponta direita e levantou para a área. Elano se jogou de peixinho e acertou a trave esquerda. Já aos dez, Pará viu a chance viva de marcar quando pegou um rebote na pequena área. Só não contava com a agilidade de Marcelo Lomba, que afastou com os pés.

Só que era outro Bahia em campo, mais ousado, atrevido, graças ao ingresso de Lulinha. E o time começou a incomodar a defesa gremista. Tanto que alcançou o empate aos 18 minutos. Foi quando Mancini cobrou falta da intermediária e encontrou o volante com liberdade incompatível para a pequena área ? somente desviou para as redes. Grohe nada pode fazer.

O empate entusiasmou os visitantes. Aos 20, após grande jogada de Lulinha, Grohe deu rebote. Fahel completou para o gol, mas a arbitragem marcou impedimento. No entanto, a posição do jogador era legal. Errou a arbitragem.

Fulminante

Vanderlei Luxemburgo viu nitidamente que as coisas não iam bem para o lado dos gaúchos e tentou alterações. Colocou Marquinhos e Léo Gago nas vagas de Fernando e Edílson, respectivamente. Depois, Tony substituiu Pará. Pelo lado baiano, Ciro substituiu Zé Roberto.

O Grêmio partiu para cima, se lançou ao ataque, foi para o ?abafa?. Até que, aos 42 do segundo tempo, Souza desviou cobrança de escanteio e decretou a vitória gremista. Nos acréscimos, quando Mancini já havia sido expulso, Marcelo Moreno recebeu na entrada da área e tocou por cobertura por cima de Lomba: 3 a 1 ? fechando o placar com grande estilo em um belo gol.

Fonte: Globo Esporte