Com bala na cabeça, Cabañas vai treinar duro até ficar 100%

Cabañas não jogava profissionalmente há mais de dois anos (810 dias)

Ex-atacante do América do México e da seleção paraguaia, Salvador Cabañas voltou a jogar profissionalmente, apesar de ter uma bala alojada na cabeça. Ele participou da vitória do 12 de Octubre sobre o Martín Ledesma, por 2 a 0, no último sábado, pela Segunda Divisão do país. E mostrou-se empolgado com mais uma etapa em sua recuperação.

- Sempre desejei regressar e agora estou de volta. Vou treinar duro até ficar 100% - disse.

Cabañas não jogava profissionalmente há mais de dois anos (810 dias), após ser baleado no dia 25 de janeiro de 2010 em uma boate na Cidade do México. A bala entrou pela testa e se alojou na nuca do jogador, que milagrosamente não perdeu a vida e durante os últimos dois anos foi submetido a intensa recuperação em clínicas especializadas de México, Argentina e Paraguai.

- Estou com muita vontade de voltar a jogar. Quero jogar bem. É meu sonho e vou trabalhar para isto - revelou Cabañas, carrasco do Flamengo na Copa Libertadores de 2008.

Para alguns especialistas, no entanto, a bala na cabeça de Cabañas representa um grave risco para sua saúde.

- É uma aposta muito perigosa, as consequências são imprevisíveis - disse o médico paraguaio Juan Dujak.

Celso Fretes, o neurocirurgião que acompanhou Cabañas desde o início, afirmou que o "imprescindível é fazer um monitoramento antes e depois de cada partida".

- Cabañas não pode ter alta de forma definitiva. O esporte que realiza implica riscos e muito esforço físico, impacto. Está sujeito a empurrões, golpes, cotoveladas. O risco de uma atividade física intensa é uma crise convulsiva, um desmaio - explicou Fretes, lembrando que a bala atravessou a massa encefálica e se alojou próximo à nuca.



Fonte: Globo Esporte