Com brigas, Cruzeiro bate Atlético-MG

Com o resultado, o time celeste termina a 12ª rodada do Campeonato Brasileiro em sexto

Com um gol de Wellington Paulista, o Cruzeiro venceu o Atlético-MG por 1 a 0, jogando no Estádio Arena do Jacaré, em Sete Lagoas(MG), em um jogo bastante movimentado dentro e fora de campo.

Apesar do clássico ter sido aberto apenas para a torcida do time alvinegro, mandante da partida, houve brigas nas arquibancadas. Entre os jogadores, o zagueiro cruzeirense Gil e o atacante atleticano Obina - que fez seu retorno aos jogos oficiais depois de contusão no primeiro semestre - se desentenderam após o término do confronto. No primeiro tempo, Diego Tardelli, Jairo Campos e Werley já haviam discutido exaltadamente dentro de campo, forçando a intervenção do árbitro e dos companheiros de time.

Com o resultado, o time celeste termina a 12ª rodada do Campeonato Brasileiro em sexto, com 19 pontos. Já a equipe de Vanderlei Luxemburgo segue na zona do rebaixamento, em 19º, com 10 pontos.

Além das brigas, o clássico foi rico em acontecimentos pitorescos: a começar pela numeração curiosa atleticana (o goleiro Fábio Costa jogou com a camisa número 13 e o meia Diego Souza com a 1), passando pela invasão de um gato no gramado que forçou a paralisação da partida e o cartão amarelo recebido pelo meia cruzeirense Everton, já fora de campo, por ter simulado uma contusão para ganhar tempo e depois caminhado normalmente.

O time de Vanderlei Luxemburgo volta a campo pelo Campeonato Brasileiro no próximo sábado, dia 7 de agosto, às 18h30 (horário de Brasília), contra o Botafogo, fora de casa. Como mandante, no domingo, o Cruzeiro recebe o Grêmio Prudente, no mesmo horário.

O jogo

O primeiro clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro após o fechamento do Mineirão começou repleto de peculiaridades. Disputado na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas, com a presença apenas da torcida do clube mandante - no caso, o time alvinegro -, o jogo ainda ficou marcado pela curiosa numeração atleticana: o goleiro Fábio Costa entrou em campo com a camisa número 13, deixando a número 1 para o meia-atacante Diego Souza.

A partida foi movimentada desde o primeiro minuto. No primeiro lance do jogo, Diego Tardelli bateu forte e cruzado e Fábio não segurou. Diego Souza chegou atrasado, no rebote, e perdeu chance incrível de abrir o placar.

Aos 12min, Jairo Campos e Everton subiram juntos e bateram a cabeça. Os jogadores foram atendidos no gramado e o jogo foi interrompido em um momento em que o Atlético-MG era superior.

Mas as melhores oportunidades ainda eram do Atlético-MG. Aos 23min, João Pedro fez o breque em cima de Fabrício e bateu colocado. Fábio se esticou todo e espalmou para escanteio. Aos 26min, Thiago Ribeiro recebeu cartão amarelo por entrada violenta em João Paulo.

A pressão atleticana teve ainda um chance desperdiçada por Diego Tardelli, após boa jogada de Diego Souza pela intermediária. Apesar de agredir mais, o time do técnico Vanderlei Luxemburgo foi punido pelo excesso de gols perdidos. Aos 32min, Wellington Paulista dominou na frente da área, ajeitou de lado e meteu no ângulo direito de Fábio Costa, em um golaço que abriu o placar na Arena do Jacaré.

A situação adversa mexeu com os nervos dos atleticanos. Diego Tardelli discutiu com Jairo Campos e Werley no gramado de forma tão exaltada que o árbitro paralisou novamente a partida e chamou a atenção dos jogadores.

Na sequência, aos 39min, Diego Souza desviou cruzamento vindo de Fernandinho e a bola pegou na trave. Foi a última boa chance de um primeiro tempo em que o Atlético-MG jogou bem, mas o Cruzeiro saiu vencedor por ter mais tranquilidade e oportunismo.

Na volta do intervalo, Luxemburgo promoveu a volta de Obina aos gramados após afastamento por contusão. No lugar do zagueiro Werley, envolvido na briga da etapa inicial, o atacante entrou com a missão de tornar a equipe alvinegra ainda mais ofensiva para chegar ao gol. Mas foi o Cruzeiro que quase marcou mais um, logo aos 2min da etapa complementar: Diego Renan passou por Cáceres e bateu no canto direito. Fábio Costa desviou e a bola beliscou a trave antes de sair.

No seu primeiro lance no jogo, aos 3min, Obina furou feio cruzamento de Fernandinho. O Atlético mantinha a posse no segundo tempo, mas não conseguia finalizar. Luxemburgo fez outra alteração, aos 8min: Diego Macedo saiu para dar lugar a Zé Luis.

Aos 12min, o time celeste voltou a assustar Fábio Costa. Fabrício dominou na esquerda e bateu de surpresa rente à trave do goleiro, camisa 13 atleticano. Com 20min, Fernandinho alçou falta no bolo da área. Ninguém desviou e Fábio fez defesa firme.

Luxemburgo gastou a terceira alteração aos 22min: Ricardinho deixou o campo para dar lugar a Leandro. O Atlético-MG seguia melhor, empurrado pela torcida, mas os jogadores de frente não aproveitavam as oportunidades. Aos 23min, Obina recebeu cartão amarelo por tentar cavar pênalti.

O Cruzeiro contra-atacava com eficiência e criava chances de aumentar a vantagem. Aos 25min, Diego Renan aproveitou falha da marcação da defesa do Atlético e entrou livre na área. O camisa 6 bateu errado e desperdiçou ótima oportunidade.

Na substituição de Everton por Rômulo, o meia recebeu amarelo do árbitro, já fora de campo, por ter simulado uma contusão para ganhar tempo e depois caminhar normalmente no momento em que foi substituido.

Aos 38min, Gil deixou o cotovelo no rosto de Diego Tardelli e o árbitro expulsou o zagueiro do Cruzeiro.

Nos minutos finais, o Atlético-MG tentou aproveitar a vantagem numérica, mas faltou organização. Diego Tardelli perdeu a melhor chance, cara a cara com Fabio, chutando torto aos 44min. Na saída de campo, Gil e Obina discutiram e precisaram ser contidos para não trocarem agressões físicas.



Fonte: Terra, www.terra.com.br