Com Diego Souza vaiado, Palmeiras sofre, mas vence o Atlético-GO por 1 a 0

Com Diego Souza vaiado, Palmeiras sofre, mas vence o Atlético-GO por 1 a 0

A equipe alviverde tirou o peso de não vencer o primeiro jogo do duelo

O Palmeiras sofreu mas conseguiu vencer o Atlético-GO por 1 a 0 e largar na frente no confronto válido pelas quartas de final da Copa do Brasil. Com gol marcado nos acréscimos, em pênalti convertido por Cleiton Xavier, a equipe alviverde tirou o peso de não vencer o primeiro jogo do duelo. Mas apesar da alegria no fim, o jogo foi tenso, principalmente entre Diego Souza e a torcida. Hostilizado na hora em que foi substituído, o meia fez gesto obsceno e passou a ser perseguido até o apito final.

AS equipes voltam a se enfrentar no dia 5 de maio e graças ao gol no fim o Palmeiras tem a vantagem de jogar pelo empate e até mesmo por uma derrota desde que marque fora de casa. Novo 1 a 0 leva a partida para os pênaltis.

Um Palmeiras bem mais vibrante foi o que se viu no primeiro tempo da partida. Com o apoio de sua torcida, que compareceu em bom número ao Palestra Itália, o time da casa teve mais posse de bola, chegou a ficar boa parte do tempo sem ser incomodado pelo adversário, mas ainda pecou na hora de finalizar.

Na melhor chance criada, que tirou o grito de gol da garganta dos palmeirenses, a arbitragem assinalou impedimento de Robert. Mas a jogada aos 42min do primeiro tempo foi toda bonita. Lincoln puxou contra-ataque e foi tabelando com Cleiton Xavier até que o meia ficou em boa posição para chutar e forçou o goleiro Márcio dar rebote. O problema é que Robert estava muito adiantado, o que acabou anulando a jogada.

Mesmo assim e mesmo tendo deixado o Atlético-GO a participar mais do jogo - como em uma falta de Robston que Marcos não conseguiu segurar e Edinho aliviou -, o time alviverde foi aplaudido na saída para os vestiários.

Na volta para o segundo tempo, um susto quase estragou a noite palmeirense, depois que Marcão, logo aos 6min, pegou a sobra de um escanteio pelo lado direito da área e acertou o travessão.

Apesar de o técnico Antonio Carlos Zago dizer que não precisava ir mais para cima porque ainda havia um outro jogo, o Palmeiras se lançou mais ao ataque para tentar a vantagem. O que gerou uma certa desorganização e mais perigo do Atlético-GO.

Em um contra-ataque aos 21min, por exemplo, o bom atacante Róbston puxou o time do Atlético-GO, lançou Thiago Feltri na esquerda e depois chutou à queima-roupa para Marcos fazer linda defesa e subir um pouco mais no conceito do torcedor, que neste momento começava a perder a paciência com os erros do time.

Mas o que colocou a torcida em nervos foi o gol feito que Ewerthon, aplaudido por sua entrada em campo, desperdiçou. Aos 24min, ele recebeu passe na medida de Diego Souza e chutou cruzado para fora.

O passe para Ewerthon foi a última ação de Diego Souza na partida. Ao ser substituído a torcida pegou no pé do camisa 7 e aplaudiu a troca por Paulo Henrique. O jogador não gostou, respondeu com gestos e xingamentos e ouviu um coro de mais de 23 mil vozes criticando em termos nada amistosos.

E a bronca não ficou apenas no momento pós substituição. Por pelo menos duas vezes ele foi xingado, inclusive no lance que originou o gol da vitória. Enquanto Paulo Henrique foi puxado na área antes de chutar, a torcida palmeirenses criticava seu camisa 7 e foi pega de surpresa quando o árbitro Leonardo Gaciba marcou a falta dentro da área. Cleiton Xavier pegou a bola e aos 49min do jogo cobrou com perfeição para que o Palmeiras vencesse e voltasse a ser aplaudido pela torcida.

FICHA TÉCNICA

Palmeiras 1 x 0 Atlético-GO

Gols

Palmeiras: Cleiton Xavier, aos 49min do segundo tempo

Ponto Forte do Palmeiras

Lincoln teve boa atuação nas jogadas de ataque do Palmeiras

Ponto Forte do Atlético-GO

Defendeu-se muito bem e chegou com perigo nos contra-ataques

Ponto Fraco do Palmeiras

Não foi para o ataque e teve a sorte de ter um pênalti marcado no fim para sair vitorioso

Ponto Fraco do Atlético-GO

Apesar da proposta de se defender poderia ter dado mais trabalho ao Palmeiras

Personagem do jogo

Diego Souza não jogou mal, mas sua relação com a torcida está estremecida. Vaiado na substituição, respondeu com gestos obscenos e foi perseguido pela torcida

Lance polêmico

Impedimento no lance do gol anulado do Atlético-GO

Lance bizarro

Bola recuada com muita força de Danilo para Marcos, no início do segundo tempo, que o goleiro foi obrigado a rebater para o lado

Esquema Tático do Palmeiras

4-5-1

Marcos, Márcio Araújo, Danilo, Léo, Pablo Armero, Edinho, Marcos Assunção, Diego Souza (Paulo Henrique), Cleiton Xavier, Lincoln, Robert (Ewerthon). Técnico: Antônio Carlos Zago

Esquema Tático do Atlético-GO

4-4-2

Márcio; Márcio Gabriel, Gílson, Jairo e Thiago Feltri; Agenor, Ramalho, Róbston e Pituca; Rodrigo Tiuí e Marcão (Elias). Técnico: Geninho

Cartões Amarelos

Palmeiras: Edinho, Léo, Armero e Danilo

Atlético-GO: Pituca, Márcio Gabriel, Jairo e Gílson

Público e renda

23.892 pagantes

R$ 734.864

Árbitro

Leonardo Gaciba

Local

Palestra Itália, em São Paulo (SP)

Fonte: Terra, www.terra.com.br