Com fôlego novo e goleada de 3 a 0, Brasil atropela EUA e fica perto de vaga na semifinal

Com seis pontos conquistados, o Brasil ficou bem perto da classificação para a fase semifinal

Se foi falta de fôlego o problema na estreia, as mudanças no time fizeram a diferença. A Seleção Brasileira, com quatro alterações na equipe titular, bateu os Estados Unidos por 3 a 0, nesta quinta-feira, no Estádio Loftus Versfeld, em Pretória, pela segunda rodada da Copa das Confederações.

Com seis pontos conquistados, o Brasil ficou bem perto da classificação para a fase semifinal. Se o Egito não vencer a Itália no segundo jogo de hoje, a Seleção terá inclusive classificação antecipada. No próximo domingo, o adversário será a Itália, também em Pretoria. Já os EUA, que dependem de uma combinação de resultados para seguirem vivos, vão pegar o Egito.

Depois dos 4 a 3 sobre os egípcios na estreia - vitória conquistada apenas no último minuto de jogo em cobrança de pênalti -, Dunga e os jogadores culparam o cansaço pela má atuação. Para mudar a postura da equipe, o treinador escalou hoje Maicon, Miranda, André Santos e Ramires. Daniel Alves, Juan, Kleber e Elano deixaram a equipe.

Os tiros foram certeiros e a Seleção ganhou nova disposição. Todos os gols da Seleção tiveram participação direta de jogadores promovidos ao time titular. Felipe Melo marcou após cruzamento de Maicon. Robinho fez com contra-ataque puxado por André Santos e passe de Ramires. E Maicon anotou o seu.

Também é verdade que os americanos, com muitos erros, ofereceram pouquíssima resistência. Mas o Brasil fez sua parte.

Como foi o jogo

O Brasil sobrou em campo no primeiro tempo e não precisou de mais de seis minutos para abrir o placar. Maicon levantou na área e Felipe Melo apareceu por trás da zaga para tocar forte, de cabeça, para o fundo do gol.

A defesa não deu as bobeiras da última partida e a ligação do meio com o ataque esteve precisa. Em um desses contra-ataques fulminantes, a Seleção chegou ao segundo gol após um erro americano na cobrança de escanteio.

Aos 19min, André Santos lançou Kaká, que só ajeitou para Ramires. O meia arrancou, chegou perto da área e viu Robinho entrando sozinho. Ele tocou a bola para o atacante, que chutou com categoria no canto de Howard.

Apesar da vantagem e do cansaço, os brasileiros continuaram marcando o adversário no campo de ataque. Júlio César foi um mero expectador, sem fazer uma única defesa na primeira metade de jogo.

O Brasil, com mais posse de bola, tocava com tranquilidade esperando o momento para avançar. E quase chegou ao terceiro gol, mas Kaká, Luís Fabiano e Gilberto Silva desperdiçaram boas chances.

Os EUA acordaram no início do segundo tempo e chutaram duas vezes sem perigo, com Altidore e Bradley. Mas qualquer ameaça de reação acabou aos 10min, quando Kljestan perdeu a cabeça, acertou Ramires sem bola e recebeu o cartão vermelho.

A partir daí a Seleção voltou a sobrar. E foi premiada com mais um belo gol, aos 16min. Maicon avançou pela direita e serviu Ramires, que deu de primeira para Kaká. O craque do Real Madrid tocou na frente para Maicon encher o pé e marcar o terceiro.

Dunga aproveitou para mexer ainda mais no time. Deu folga a Kaká e Luís Fabiano, duas de suas principais estrelas, e colocou Júlio Baptista e Nilmar. Depois, ainda testou Luisão no lugar de Lúcio.

O Brasil ainda levou um susto. Aos 38min, Feilhaber acertou a trave. Mas o susto passou. E o jogo acabou. 3 a 0.

Fonte: Terra, www.terra.com.br