Com gol de Fred e expulsões, Fluminense bate Arsenal em sua estreia na Libertadores

Com gol de Fred e expulsões, Fluminense bate Arsenal em sua estreia na Libertadores

Na partida, o Fluminense encontrou um adversário fechado defensivamente.

O Fluminense estreou com sufoco, mas vitória importante nesta terça-feira, diante de um rival argentino na Copa Libertadores. Com um triunfo simples por 1 a 0 sobre o Arsenal, no Estádio Engenhão, em gol marcado pelo atacante Fred ainda no início do confronto, a equipe carioca superou o clima tenso do embate, somou seus primeiros três pontos no torneio e assumiu a liderança provisória do Grupo 4 do torneio.

Na partida, marcada principalmente por manifestações contrárias e favoráveis por parte dos torcedores tricolores, o Fluminense encontrou um adversário fechado defensivamente. Abriu o placar ainda aos 3min, em tento feito pelo Fred, mas viu o rival argentino pressionar e quase empatar no restante do duelo, que teve três expulsões, sendo duas pelo lado brasileiro.

O triunfo deu ao time das Laranjeiras três pontos que devem ser essenciais na competição, uma vez que a chave em que o Fluminense se encontra possui o poderoso Boca Juniors. O tradicional clube argentino, aliás, estreia na próxima terça-feira, contra o Zamora-VEN, mas fora de casa: o confronto será no Estádio La Carolina.

E o Boca será também o próximo rival do time carioca na Libertadores. As duas equipes se encaram no dia 7 de março, na temida La Bombonera. O Arsenal, por sua vez, volta a campo ainda em fevereiro, no dia 21, em embate que acontecerá no Estádio Julio Humberto Grondona.

Primeiro tempo com gol relâmpago e confusão

Empolgado pelo bom público que compareceu ao Engenhão, o Fluminense começou melhor no confronto, encurralou o Arsenal ainda no início e chegou ao gol ainda no terceiro minuto. Em jogada que começou com passe de Deco a Carlinhos pelo lado esquerdo, o lateral efetuou cruzamento, Lisandro López cortou mal e Fred aproveitou o rebote, anotando na sobra e abrindo o placar.

Bem fisicamente, o meia Deco - que superou uma febre antes da partida e quase foi vetado - se mostrava inspirado. Todas as jogadas tricolores passavam pelos pés dele, e o Fluminense procurava seu jogo pelo setor de ataque. E, dos pés dele, quase saiu o segundo gol, também com Fred. Contudo, o camisa 9 finalizou mal, da entrada da área, e viu Cristian Campestrini fazer defesa segura.

O jogo daria margens do que seria a partir do lance seguinte. Ainda aos 15min, Fred sofreu falta na entrada da área de Lisandro López, se irritou e partiu para cima do argentino. Por pouco, a discussão não gerou uma briga no gramado, e a turma do "deixa disso" tratou de separar os mais exaltados. Após o incidente, coincidentemente, o Arsenal cresceu no jogo.

Primeiro, Luciano Leguizamón girou o corpo pelo lado direito da área, chutou com força e viu a bola desviar em Anderson. Depois, Carlos Carbonero lançou, Luciano avançou sozinho, invadiu a área brasileira pelo lado direito e arrematou para defesa importante de Diego Cavalieri, salvando o Fluminense no duelo.

O mesmo Leguizamón ainda puxou mais bons dois ataques ao Arsenal e por pouco não igualou a fatura no Engenhão. O jogador dominou na entrada da área e cruzou na cabeça Carlos Carbonero, que desperdiçou uma chance fundamental no confronto. Por último, nos minutos finais cobrou escanteio para, Emilio Zelaya que cabeceou para a boa espalmada de Cavalieri.

Segundo tempo nervoso, com nova briga e vitória

O Fluminense retornou para a segunda etapa ainda mais nervoso do que esteve na primeira. Após ouvir vaias da torcida no intervalo - os tricolores se dividiram entre protestos e aplausos à equipe -, o técnico Abel Braga armou o time novamente para evitar novas falhas defensivas, principal motivo de irritação dos torcedores.

E, ainda no primeiro minuto do segundo tempo, o jogo voltou a mostrar sua "cara de Libertadores". O meia luso-brasileiro Deco entrou com violência contra Iván Marcone, os argentinos protestaram, mas o camisa 20 escapou de receber seu segundo cartão amarelo. Aos poucos, o confronto ficava mais truncado, e a tensão só crescia. A torcida passou a pedir Thiago Neves e foi prontamente atendida: o meia entrou na vaga de Rafael Sóbis.

Ainda melhor no confronto, o Arsenal quase empatou em duas oportunidades nos minutos iniciais. Nicolás Aguirre foi lançado pelo lado direito da área, cruzou e Leandro Euzébio cortou de cabeça, aos 3min. Depois, o inspirado Luciano Leguizamón centrou em tiro de canto, Lisandro López sobiu mais alto que a marcação, cabeceou e viu a bola sair com perigo pela linha de fundo.

No fim, o Fluminense tentava segurar o empate, e a partida ganhou tons dramáticos. Uma briga generalizada quase aconteceu aos 30min, quando Hugo Nervo empurrou Wagner, irritou os brasileiros e viu uma série de discussões e empurrões tomarem conta do meio de campo. Wagner e Nicolás Aguirre, que trocaram agressões, foram expulsos de campo.

Embalado pela tensão, o Arsenal seguia pressionando. No minuto seguinte, Luciano Leguizamón levantou na área do Fluminense e Anderson salvou a equipe ao cortar o cruzamento. Leandro Euzébio ainda foi expulso aos 44min, pouco antes de a equipe brasileira se segurar como podia nas investidas argentinas. Mas, ao apito do árbitro, tudo acabou bem: 1 a 0 para o Flu e vitória brasileira na Libertadores.

Ficha técnica

FLUMINENSE 1 x 0 ARSENAL-ARG

Gols

FLUMINENSE:

Fred, aos 3min do primeiro tempo

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Bruno, Anderson, Leandro Euzébio e Carlinhos; Edinho, Diguinho, Deco (Wellington Nem) e Wagner; Rafael Sobis (Thiago Neves) e Fred

Treinador: Abel Braga

ARSENAL-ARG: Cristian Campestrini; Hugo Nervo (González), Lisandro López, Guillermo Burdisso e Damián Pérez; Iván Marcone, Carlos Carbonero, Gastón Esmerado (Diego Torres) e Nicolás Aguirre; Luciano Leguizamón e Emilio Zelaya

Treinador: Gustavo Affaro

Cartões amarelos

FLUMINENSE: Deco e Fred

ARSENAL-ARG: Diego Torres e Campestrini

Cartões vermelhos

FLUMINENSE: Wagner e Leandro Euzébio

ARSENAL-ARG: Nicolas Aguirre

Árbitro

Antônio Arias (PAR)

Local

Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)

Fonte: Terra