Com gol nos acréscimos, Atlético Mineiro bate o Sport de virada e é vice; 2 a 1

Com gol nos acréscimos, Atlético Mineiro bate o Sport de virada e é vice; 2 a 1

Em um jogo dramático, o Atlético-MG conseguiu arrancar a vitória

Depois de sair atrás no marcador e desperdiçar inúmeras chances de gol na partida, em um jogo dramático, o Atlético-MG conseguiu arrancar a vitória por 2 a 1 contra o Sport, neste domingo, no Estádio Independência, com um gol nos acréscimos da arbitragem, e manteve vivo o sonho do título do Campeonato Brasileiro.

Hugo abriu o placar para o time rubro-negro, aos 16min do primeiro tempo. Depois de levar o gol, o Atlético-MG insistiu bastante, mas parou nas defesas do goleiro Magrão e no travessão. No entanto, Leonardo foi o grande nome do time mineiro, ao entrar na segunda etapa e anotar os dois tentos da virada, aos 32min e 46min.

Com o resultado, o Atlético-MG foi a 59 pontos e diminuiu a diferença em relação ao líder Fluminense para seis pontos. O time tricolor, no entanto, ainda joga neste domingo contra a Ponte Preta. Já o Sport seguiu com 27 pontos, na 17ª colocação, e vê cada vez mais escassas as chances de escapar do rebaixamento.

O Atlético-MG iniciou a partida errando muitos passes e procurando acertar o posicionamento de Ronaldinho e Escudero que gostam de atuar pela faixa esquerda do campo. A primeira chance de marcar surgiu em favor do time da casa, logo aos 5min, com o avante Jô, que recebeu ótima assistência e finalizou cruzado, mas errou o alvo.

A resposta do Sport não demorou e veio com Rithely, que apareceu com liberdade na cara do goleiro Giovanni, que mostrou agilidade para sair do gol e fazer grande defensa, evitando a abertura do marcador. A partir dos 10min, os mineiros conseguiram corrigir o posicionamento e passaram a agredir os pernambucanos com maior intensidade.

O time alvinegro, porém, deu espaços para o contra-ataque do Sport, que aos 15min, conseguiu um escanteio pela esquerda, que foi cobrado com precisão na cabeça de Hugo. O meia, com total liberdade, mandou para as redes adversárias. O gol deu confiança para os rubro-negros, que reequilibraram o jogo, tendo inclusive, um volume de jogo maior que os atleticanos em alguns momentos.

Percebendo a instabilidade da equipe, o técnico Cuca a todo o momento pedia tranqüilidade para que o time alvinegro colocasse a bola no chão para jogar com calma. Quando conseguiu trocas passes com qualidade, o Atlético-MG quase chegou ao empate com Bernard, que chegou um pouco atrasado após cruzamento de Marcos Rocha.

Aos 31min, Marcos Rocha tabelou com Jô e finalizou na saída do goleiro Magrão, mas a defesa visitante conseguiu aliviar o perigo. Aos 34min, novamente Marcos Rocha, que tinha condições de finalizar, porém, preferiu tentar o passe para Ronaldinho que não conseguiu chegar no lance. Sentindo o crescimento do Atlético-MG no jogo, a torcida passou a apoiar o time nas arquibancadas do Independência.

Na volta para a etapa complementar, o time mineiro se mostrou mais agressivo, mas os erros de passe persistiram, dificultando a vida alvinegra. Aos 6min, Bernard foi à linha de fundo e cruzou na medida para Jô, que cabeceou sobre o travessão de Magrão. Logo depois, Neto Berola fez o giro em cima da marcação e mandou a bomba assustando o torcedor rubro-negro.

Aos 13min, o time pernambucano encaixou um excelente contra-ataque, que deixou Gilsinho na cara do goleiro Giovanni, que operou um verdadeiro milagre para evitar a dilatação do placar, e teve o nome gritado em coro pela torcida atleticana. Com a atuação discreta dos laterais, Cuca sacou Marcos Rocha para entrada de Carlos César, tentando explorar as jogadas de linha de fundo.

Pressionando o Sport, os donos da casa abusaram do direito de desperdiçar chances de gol. Aos 20min, Jô perdeu uma chance incrível ao cabecear sobre o travessão, na jogada que é sua especialidade. Na tentativa de segurar o placar favorável, o time pernambucano compactou as linhas de marcação, dificultando ainda mais a vida alvinegra.

Aos 32min, a pressão mineira surtiu efeito após cruzamento de Ronaldinho na cabeça de Leonardo, que testou com violência, sem chances para Magrão. O jogador havia entrado dez minutos antes, no lugar de Jô. Dois minutos depois do gol, Neto Berola teve a chance de virar, mas a pontaria não estava calibrada. Aos 37min, Ronaldinho cobrou falta, com efeito, e acertou o travessão.

A caminho do final da partida, Hugo acabou expulso por levar o segundo cartão amarelo, aos 38min - primeira advertência saiu por reclamação. Já nos acréscimos, aos 46min, os atleticanos conseguiram o gol que explodiu o Independência em alegria. Na jogada, Bernard ganhou na velocidade do marcador, penetrou na área e cruzou para Leonardo desviar para o fundo das redes.

No último minuto, ainda houve tempo para uma polêmica. Após escanteio na área, os jogadores do Sport reclamaram de toque de mão e possível penalidade não marcada pelo árbitro. O Atlético-MG ainda perdeu o gol na sequência da jogada, antes do apito final, e os jogadores rubro-negros protestaram bastante por conta do lance.

Fonte: Terra, www.terra.com.br