Com Ronaldo de capitão, Corinthians testa força contra Portuguesa

Com Ronaldo de capitão, Corinthians testa força contra Portuguesa

A principal estrela do Corinthians, portanto, ainda é Ronaldo.

O Corinthians aposta inicialmente na base do elenco que não conquistou títulos no ano passado para fazer sucesso em 2011. A diretoria ambicionava ao menos uma contratação de impacto para a temporada, porém só conseguiu quatro atletas considerados reservas por enquanto. Nenhum deles deverá enfrentar a Portuguesa às 17h (de Brasília) deste domingo, no Pacaembu, em partida válida pela primeira rodada do Campeonato Paulista.

A principal estrela do Corinthians, portanto, ainda é Ronaldo. Em sua última temporada antes da aposentadoria, o atacante assumiu a função de capitão e não será poupado pela comissão técnica nos primeiros jogos do Estadual. "Quero estar 100% para a Libertadores, mas é importante readquirir ritmo e forma física dentro de campo. Todo mundo sabe que prefiro jogar a treinar", comentou o astro, confiando no entrosamento do elenco. "O grupo já se conhece bem. Temos um time competitivo."

O técnico Tite também acredita que o bom entendimento entre seus jogadores funcionará contra a Portuguesa e na sequência do Paulisto. Justamente por isso, cogitou adotar uma formação tática que fez sucesso sob o comando de Mano Menezes em 2009, com três atacantes. Sem Jorge Henrique, quem tenta fazer a função é Paulinho, que deve atuar aberto à direita do meio-campo.

O Corinthians ainda terá uma novidade na lateral direita. Como Alessandro estava com catapora e não fez pré-temporada, o contestado Moacir será o titular da posição no começo de 2011. "Ele tem a minha confiança", incentivou Tite. Entre os contratados, o único que ficará no banco de reservas é o defensor Wallace - Fábio Santos, "Cachito" Ramírez e Willian ainda nem foram oficialmente apresentados. A dupla de zaga contará com Chicão e Leandro Castán, que ganhou a vaga do aposentado William.

Para Tite, o time que será testado na estreia contra a Portuguesa tem condições de ficar com os títulos paulista e da Libertadores no primeiro semestre - sem a necessidade de priorizar a competição continental, como fez Mano Menezes. "As coisas devem caminhar juntas. Um campeonato deve servir de apoio para o outro. O Corinthians, por exemplo, já foi campeão da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista simultaneamente", argumentou.

Do outro lado, porém, a Portuguesa também está otimista. "Mantivemos a base da equipe e ainda nos reforçamos. Temos jogadores de qualidade. Isso nos dá a certeza de que coisas boas estão reservadas para o clube neste ano. Cabe ao time fazer por merecer", discursou o volante Rai. "Estamos muito empolgados e empenhados em fazer um bom papel. Os treinos de pré-temporada foram duros, mas importantes para a equipe", complementou o goleiro Juninho.

Fonte: Terra