Com show de Washington, São Paulo bate Sport e acaba em 3º

Com belo futebol e ótima atuação de Washington, equipe do São Paulo goleou o já rebaixado Sport

O tão esperado milagre não aconteceu e o São Paulo, que sonhava com o heptacampeonato nacional, terminou sua participação no Campeonato Brasileiro de 2009 com uma vaga assegurada na Taça Libertadores da América do ano que vem. Com belo futebol no segundo tempo e ótima atuação de Washington, a equipe comandado por Ricardo Gomes goleou o já rebaixado Sport por 4 a 0, em partida realizada no estádio do Morumbi.

Primeiro tempo equilibrado

Precisando de uma complexa combinação de resultados, o São Paulo tomou a iniciativa e armou uma blitz no início da partida. Com marcação forte na saída de bola adversária, a estratégia era marcar um gol com rapidez para depois procurar o placar necessário. Só que o time do Morumbi não esperava encontrar um Sport bem colocado em campo.

O time pernambucano, já rebaixado, postou seu time no 3-5-2, mas com peças excessivamente recuadas. Na marcação, eram até sete jogadores, o que dificultava as coisas para o meio são-paulino, que insistia nas tabelas pelo meio. A primeira chance de gol tricolor veio aos 11, quando Hernanes bateu falta e Magrão espalmou. No lance seguinte, após tabela entre Dagoberto e Hernanes, a bola sobrou para Washington, que foi travado na hora do chute.

Para complicar ainda mais para o Tricolor, o Sport, timidamente, começou a sair para o ataque. Inteligentemente, o técnico Levi Gomes pediu para o time explorar as costas dos dois alas são-paulinos. Tanto Jean, quanto Jorge Wagner, subiam muito para o ataque e não voltavam para compor a marcação com a mesma rapidez. Com isso, Renato Silva, pela direita, e Miranda, pela esquerda, eram obrigados a fazer o combate na intermediária.

O Sport deu dois sustos consecutivos ao torcedor são-paulino presente ao Morumbi. Aos 21, Fininho cobrou escanteio pela esquerda e a bola sobrou para Durval que, de pé esquerdo, bateu de primeira, no canto esquerdo de Rogério Ceni, que mostrou reflexo e fez grande defesa. Dois minutos depois, foi a vez de Wilson descer pela esquerda e cruzar na medida para Fabiano que, livre de marcação, cabeceou por cima do gol de Rogério Ceni, perdendo uma grande oportunidade. Logo depois, o placar eletrônico do Morumbi anunciou o gol do Grêmio no Maracanã, contra o Flamengo, e o torcedor são-paulino comemorou como se fosse um gol.

Essa euforia deu novo combustível ao confuso São Paulo, que só voltou a chegar com perigo ao ataque aos 29, quando Jorge Wagner recebeu de Dagoberto dentro da área e disparou uma bomba de pé esquerdo. Magrão trabalhou pela primeira vez na partida. Três minutos depois, Hernanes cobrou falta pela esquerda, a bola atravessou toda a área e foi no canto direito do goleiro do Sport, que conseguiu se esticar e fez um milagre para evitar o gol.

Aos 32, as coisas se complicaram para o Sport. O lateral-direito Moacir, que já tinha cartão amarelo, fez nova falta e acabou expulso. Com um homem a mais em campo, o Tricolor não precisou mais do que três minutos para abrir o marcador. Aos 35, Dagoberto tabelou com Washington, que devolveu para o camisa 25 dentro da área. Ele foi travado pela marcação pernambucana e a bola sobrou limpa para Washington que, de pé direito, bateu no canto esquerdo de Magrão, marcando o seu 14º gol no Campeonato Brasileiro. Festa no Morumbi.

O que certamente se transformaria em uma partida tranqüila para o São Paulo se complicou aos 39. Após passe errado de Hugo no meio-campo, Renato Silva cometeu uma falta no meio-campo e, como já tinha cartão amarelo, foi bem expulso pelo juiz Sandro Meira Ricci. Nos minutos finais, o Sport voltou a pressionar, mas a defesa do Tricolor conseguiu evitar o empate.

Ceni marca logo no começo do segundo tempo

Os dois times voltaram sem alterações para o recomeço da partida. Porém, com cinco minutos, o técnico Ricardo Gomes foi obrigado a queimar uma mudança, já que André Dias sentiu lesão muscular. Sem zagueiros de ofício no banco de reservas, o treinador preferiu improvisar o volante Zé Luis no setor.

Mesmo sabendo que o título ficava cada vez mais impossível, o Tricolor foi para o ataque para aumentar a sua vantagem. Aos 7, saiu o segundo gol. Dagoberto fez brilhante jogada individual, passou por três marcadores e, na entrada da área, acabou derrubado. Na cobrança, Rogério Ceni, de pé direito, bateu com muita categoria, no canto esquerdo de Magrão, que saltou e não alcançou.

Na sequência, o terceiro gol só não saiu porque Washington perdeu grande chance. Ele recebeu cruzamento rasteiro de Jean e, cara a cara com Magrão, chutou por cima do gol.

Mas havia tempo para o atacante se redimir. E foi em grande estilo. Aos 20, Dagoberto arrancou pelo meio, foi para a esquerda e tocou para Hugo na direita. O meia fez lançamento primoroso na área para Washington que, matou no peito, girou e bateu de primeira, no canto direito de Magrão. Um golaço. Rapidamente, o camisa 9 foi abraçado pelos companheiros e ovacionado pelos mais de 30 mil presentes ao Morumbi.

Depois, foi só esperar o tempo passar. Mas Washington ainda resolveu ir para as redes mais uma vez. Aos 44, ele aproveitou toque de Junior Cesar, que dividiu com Magrão e só empurrou para as redes: 4 a 0. Na sequência, o juiz Sandro Meira Ricci apitou o final da partida e os jogadores, todos juntos no gramado, agradeceram o apoio dos torcedores que, de pé, cantaram o hino e aplaudiram muito.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com