Comunidade comemora 20 anos de capoeira durante evento em Teresina

A proposta pretende interagir com a população interessada

Os 20 anos de realização das aulas de capoeira na Associação dos Docentes da Universidade Federal do Piauí (ADUFPI) foram comemorados na sexta-feira, 7, em grande estilo.

Com a expectativa de reunir mais de 150 pessoas na instituição, dentre eles ex-alunos e mestres, o evento "Eu vou Berimbau Me Chamou", pretende ainda aproximar a capoeira da comunidade. O encerramento será no domingo,9, com a Roda de Despedida.

A iniciativa tem a intenção de comemorar também os 40 anos de vida do mestre Corujão, um dos principais incentivadores da arte de capoeira em Teresina, confraternizando com mestres regional, nacional e até internacional.

Segundo o mestre Corujão, a manutenção da prática da capoeira em Teresina foi um desafio, devido à concorrência de outras práticas em academias.

"É um renascimento da capoeira, alunos retornando à equipe. Mas é esse o objetivo do evento, integrar a comunidade à arte da capoeira. Tudo começou no final da década de 90 e fomos ampliando a participação do público. O que foi um desafio já que as artes orientais dominavam", ressalta.

Para o mestre Corujão a proposta pretende interagir com a população interessada na arte e cultura brasileira. "É uma oportunidade para quem nunca teve contato com os treinos da capoeira e descobrir afinidades.

Por ser uma cultura nossa, os brasileiros precisam conhecer melhor, já que, geralmente, costumam importar produtos e culturas de outros lugares", pontua.

Podem participar mestres, professores, alunos e a própria comunidade em geral, mesmo não sendo um capoeirista. Os valores podem custar de R$ 25 a R$120 e variam de acordo com o item escolhido pelo participante.

Vale destacar que a Adufpi abriu vagas para alojamento durante os três dias de evento. O investimento para quem deseja usufruir da hospedagem chega a R$ 120,00 e dá direito a oficina, certificado, camisa, refeição e alojamento(barraca ou colchonete por conta do participante).

Fonte: Virgínia Santos e Márcia Gabriele