Copa: Fifa diz que dará 5% dos ingressos para carentes no Brasil

Moradores de regiões pobres e trabalhadores dos estádios terão direito a 5% da carga

A Fifa vai distribuir ingressos para moradores de áreas carentes das 12 cidades-sedes da Copa do Mundo. A entidade estuda agora a quantidade de ingressos reservados aos beneficiados pelo programa dos "ingressos sociais". A tendência é que quase 5% da capacidade dos estádios da Copa seja reservada para esse projeto.



O programa também vai contemplar parte dos operários que trabalham na construção ou na reforma das arenas. A distribuição dos bilhetes ficará por conta dos governos locais e de organizações não governamentais.

O programa serve também para ajudar a lotar os estádios durante o Mundial. Em jogos sem tanto apelo de bilheteria, a cota dos "ingressos sociais" poderá crescer.

Manaus, Cuiabá, Curitiba, Recife e Natal, que estão fora do roteiro da seleção, são as mais cotadas para receber uma porcentagem maior. Suas arenas abrigarão no máximo 50 mil torcedores.

Na semana passada, a Fifa definiu o critério de escolha dos estádios que vão receber os jogos da seleção. Para aumentar o faturamento da entidade, a equipe nacional só disputará suas partidas nas maiores arenas do Mundial.

Se a seleção chegar às fase decisivas, Rio, São Paulo, Brasília e Belo Horizonte vão receber a equipe. Os estádios das quatro cidades terão capacidade para ao menos 65 mil pessoas. Salvador, Porto Alegre e Fortaleza também podem receber o time dirigido por Mano Menezes. O Brasil jogará em, no máximo, seis arenas no Mundial. O Maracanã deve receber a seleção duas vezes, caso o Brasil seja finalista.

O programa brasileiro de "ingresso social" será semelhante ao adotado pela Fifa no Mundial da África do Sul.Lá, a entidade distribuiu mais de 100 mil entradas -66 mil bilhetes foram para sul-africanos vinculados a programas sociais e comunitários, e 54 mil ingressos ficaram com os trabalhadores que participaram da construção e reforma dos estádios. Na época, os operários que permaneceram por pelo menos sete meses nas obras ganharam o benefício. Cada um recebeu dois bilhetes.

Na Copa América, que começará na sexta, os organizadores lançaram um programa de ingressos populares. No total, 150 mil bilhetes com preços promocionais para os jogos da primeira fase foram vendidos pelo preço mais baixo (60 pesos, cerca de R$ 25) para populações carentes das cidades-sedes.

Os bilhetes podem custar até 500 pesos (cerca de R$ 200). Vários ingressos "populares" já estão sendo vendidos na internet por preços muito mais altos.

Fonte: Folha.com