Coração solidário: Washington, ex-Flu, liga para Renato, do Fla

Coração solidário: Washington, ex-Flu, liga para Renato, do Fla

Ex-atacante teve carreira ameaçada por problema cardíaco

Na primeira tentativa, a gravação do outro lado da linha avisou que o telefone celular de Renato estava fora da área de cobertura ou desligado. Tão persistente quanto nos tempos em que incomodava os zagueiros, Washington não desistiu. Queria falar com o meia do Flamengo, que acabara de saber que um exame de rotina havia apontado uma arritmia cardíaca. O camisa 11 rubro-negro, de 31 anos, foi imediatamente afastado de treinos e jogos por tempo indeterminado.

- Liguei para ele logo que a notícia saiu, mas não consegui falar. Era muito recente ainda, um momento só dele. No dia seguinte, como temos o mesmo assessor, estava com ele e pedi para que ligasse para o Renato. Queria saber como ele estava, procurei passar um pouco da minha experiência nesse momento. A minha preocupação era saber principalmente como estava a cabeça dele. Mas fiquei bem tranquilo, pois ele mostrou que estava bem, sereno, calmo e confiante.

Renato agradeceu a ligação do ex-atacante e contou um pouco sobre a conversa que tiveram.

- Sem dúvida alguma, a ligação do Washington foi uma das mais importantes que recebi. É uma pessoa que passou por um problema similar. Ele me passou força, disse para eu ficar perto da família e confiar em Deus. Conto com o carinho e a amizade do Washington para toda a vida. Quero agradecer a todos que me ligaram, mandaram mensagens, dando todo o apoio.

O ex-camisa 9 de Ponte Preta, Atlético-PR, São Paulo e Fluminense também acordou um dia e ouviu dos médicos que havia algo errado com o coração. Aos 27 anos, em 2002, descobriu que sofria de um problema cardíaco que o impedia de jogar futebol. Na época, estava no Fenerbahçe, da Turquia. Um exame mostrou que uma das artérias coronárias do atleta estava 90% entupida. O risco de enfarto era enorme.

Washington passou por cirurgias, ficou um ano e dois meses sem jogar até ser liberado para retomar as atividades. De volta aos gramados, virou o Coração Valente. No Atlético-PR, fez 34 gols no Brasileiro de 2004, foi artilheiro e até hoje ninguém marcou tanto quanto ele numa edição do campeonato. A comemoração depois do drama superado era sempre a mesma: batidas do lado esquerdo do peito.

- É um susto, você se preocupa, não sabe a gravidade do problema, não sabe do que se trata. Mas ele me disse que os médicos avisaram que seria algo simples, explicaram como seria o tratamento. E o Renato fez uma coisa que eu também fiz. Ele ficou perto da família, das pessoas que gostam dele - disse o ex-atacante, que também é diabético.

Na conversa com Renato, o artilheiro contou como conseguiu voltar a jogar em alto nível e transmitiu otimismo e confiança.

- Eu fiquei um ano e dois meses parado, mas depois voltei, fui artilheiro de várias competições, em clubes do Brasil e de fora, ganhei títulos. Joguei por mais sete anos. Pelo que soube, o caso do Renato é mais simples que o meu. Torço para que ele volte rápido, e com certeza ele vai voltar.

Por conta da arritmia cardíaca, Renato passou por uma cirurgia no sábado passado e se recupera bem. No fim do mês, ele vai ser reavaliado. Se tudo der certo, retoma os treinos ainda em março.

Aos 36 anos, Washington agora é empresário. O último clube dele foi o Fluminense. Deixou os gramados como campeão brasileiro, em 2010. Como não joga mais, faz os exames com intervalos maiores, uma vez por ano. O coração está em dia. A solidariedade, também.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com