Corinthians derruba o São Paulo

O São Paulo vive o momento mais turbulento dos últimos anos.

Sobraram olés e gritos de que o ?freguês voltou?. A torcida do Corinthians não teve do que reclamar na noite deste domingo. Já a do São Paulo... O Timão, na verdade, não precisou nem apresentar o seu melhor futebol para fazer 3 a 1 no rival, no estádio do Pacaembu, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. A derrota no clássico, aliás, aumenta a tensão no Tricolor.

Diferentemente do Alvinegro, que está próximo do título da Copa do Brasil, o São Paulo vive o momento mais turbulento dos últimos anos. Foi eliminado da Taça Libertadores da América pelo Cruzeiro, na quinta-feira passada, teve o técnico Muricy Ramalho demitido no dia seguinte e ainda perdeu para um dos principais rivais. Para piorar, a situação na tabela não é das melhores. Tem apenas sete pontos e namora a zona de rebaixamento.

Já o Corinthians, com o incontestável triunfo, aumenta para sete o número de jogos sem perder do rival e sobe para a quinta colocação, bem perto do bloco de frente. A última derrota ocorreu no dia 11 de fevereiro de 2007, pelo Campeonato Paulista. De lá para cá são quatro vitórias alvinegras e três empates. Antes disso, era o São Paulo quem mantinha um tabu. O clube do Morumbi ficou sem saber o que era cair diante do Timão por mais de quatro anos.

RÁDIO GLOBO: clique aqui e ouça os gols do clássico na narração de Oscar Ulisses

Sem compromissos durante a semana, Corinthians e São Paulo voltam a campo pelo Brasileirão no próximo sábado. A equipe do Parque São Jorge encara o Atlético Paranaense, às 16h10m, na Arena da Baixada, em Curitiba. Já o time do Morumbi tem desafio em casa, diante do Náutico, no mesmo horário.

Pressão, gol e confusão

Como já imaginava, o São Paulo encontrou um forte clima de pressão no Pacaembu. A começar pela sua própria torcida. Insatisfeitos com a saída de Muricy Ramalho, os tricolores gritavam o nome do ex-técnico e entoavam o seguinte canto: ?Vergonha, vergonha, time sem-vergonha?.

Em alta depois da vitória (2 a 0) sobre o Internacional, na primeira final da Copa do Brasil, os corintianos aproveitaram e provocaram os rivais gritando ?eliminado, eliminado...?. A bola, então, rolou, e as duas equipes adotaram postura cautelosa no início do jogo. O Timão, sem Dentinho, entrou com Marcelinho ao lado de Jorge Henrique e Ronaldo. E o Tricolor, que teve Washington vetado, foi com Hugo e Borges na linha de frente.

Logo aos seis minutos, uma nota triste para o Corinthians: Marcelo Oliveira, que retornou recentemente após um ano e dez meses afastado, sentiu lesão muscular na coxa esquerda e deu lugar a Diego. No decorrer da partida, principalmente nos 15 minutos iniciais, os dois times abusaram dos erros de passe e não assustaram os goleiros.

Depois de algumas tentativas frustradas de ambos os lados, enfim um chute a gol saiu certo, aos 16 minutos. E foi do são-paulino Richarlyson. Mas Felipe defendeu. Aos 20, foi a vez de Marlos entrar driblando na área e se jogar reclamando pênalti. Três minutos depois, Jean arriscou de longe. O goleiro do Corinthians salvou de novo.

A leve superioridade do São Paulo em campo não foi transformada em gol. Fato que fez o Corinthians acordar na partida. Aos 31 minutos, Cristian arriscou de longe e assustou Denis. Mais tarde, aos 37, ele não desperdiçou. Após tabela com Douglas, o volante apareceu na grande área e tocou na saída do goleiro. No lance, Cristian sentiu um problema muscular na coxa esquerda e pediu para sair. Jucilei entrou.

O gol, aliás, esquentou o clima da partida. Aos 38, Junior Cesar chegou mais forte em Douglas, que acusou o são-paulino de ser maldoso e avisou que teria volta. Em seguida, ainda por conta desse lance, Jorge Henrique e Hugo se desentenderam e receberam cartão amarelo. A confusão continuou em discussão entre Mano Menezes e Milton Cruz. O técnico corintiano, ao bater boca com o rival, disse: ?Está falando o quê? Você é só um interino...?. Milton Cruz ocupou provisoriamente o lugar de Muricy Ramalho até a chegada de Ricardo Gomes, contratado no sábado.

Só deu Timão

Em desvantagem no placar, o São Paulo logo foi para cima do Corinthians no segundo tempo. No primeiro minuto, Hugo arriscou de longe e viu Felipe defender. Aos dois foi a vez de Marlos aparecer bem na área, mas o chute saiu fraco, sem perigo para o goleiro alvinegro. Depois desses dois sustos, o Timão ressurgiu no jogo. E bem.

Primeiro com Diego, aos quatro minutos. O zagueiro apareceu no ataque, dominou a bola e chutou rasteiro. Denis fez boa defesa. Aos nove, Ronaldo assustou os tricolores. Após passe de Douglas, o atacante dominou, cortou um marcador e arriscou de perna esquerda, de fora da área.

Perdido em campo, o clube do Morumbi não suportou a pressão alvinegra e sofreu o segundo gol. Aos 12, após falta de Eduardo Costa em Marcelinho, o zagueiro Chicão cobrou com perfeição e acertou o ângulo esquerdo de Denis. A Fiel explodiu nas arquibancadas e começou a gritar ?olé? a cada toque.

Assim como no começo do jogo, os são-paulinos responderam com os gritos pró-Muricy. Porém eles foram calados novamente pelos alvinegros, que cantavam: ?Ô, o freguês voltou, o freguês voltou?. Aos 17 minutos, mais uma chance para Ronaldo. O Fenômeno puxou o contra-ataque, mas perdeu a bola.

Sem ser pressionado pelo São Paulo, o Corinthians tocou com calma e quase chegou ao terceiro gol aos 23 minutos. Marcelinho fez boa jogada pela esquerda e cruzou para o meio da área. Ronaldo tentou de carrinho, mas não alcançou.

Ainda aos gritos de olé da torcida, os donos da casa tocaram a bola com facilidade no meio-campo. Foi então que Jucilei começou a brilhar. Aos 26 minutos, ele resolveu avançar sozinho para a grande área e chutar para desvio de Denis. Na cobrança do escanteio, o volante cabeceou para o chão e marcou o terceiro do Corinthians.

O lance parecia ter derrubado o São Paulo em campo. Infernizado pelos olés da torcida, o time tricolor ficou ainda mais abatido em campo. Mas, aos 35 minutos, esboçou uma reação. Richarlyson apareceu bem na grande área e bateu forte para diminuir: 3 a 1. Só que era tarde demais...

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com