Corinthians fecha parceria e empresta nome a clube argentino

O Corinthians acredita que os jovens talentos da Argentina vão se interessar mais pelo Santa Fé


Corinthians fecha parceria e empresta nome a clube argentino
Em cerimônia comandada pelo diretor de marketing Luis Paulo Rosenberg, o Corinthians apresentou nesta segunda-feira sua parceria com o argentino Santa Fé Fútbol Club, que passa a se chamar Sport Club Corinthians Santa Fé. A proposta é receber jovens formados na cidade que fica a 500 km de Buenos Aires e fazê-los brilhar no Brasil.

"Será um viveiro de craques", prometeu Rosenberg, pouco depois de mostrar o novo símbolo da equipe argentina: quase idêntico ao do Corinthians, com a bandeira do país vizinho substituindo a de São Paulo. Curiosamente, o clube não adotou o mesmo expediente na parceria com o Corinthians Paranaense, cujo escudo não carrega a bandeira do Paraná. "É simples: a bandeira do Paraná tem verde", explicou Rosenberg, lembrando da rivalidade com o Palmeiras.

Na prática, porém, os dois acordos são semelhantes. Jucilei, trazido do clube paranaense como aposta, deu certo, rendeu lucros aos cofres alvinegros e virou exemplo. "Agora resolvemos internacionalizar esse investimento. Encontramos um bando de loucos em Santa Fé e eles aceitaram o desafio", emendou Rosenberg, destacando as importâncias mercadológica e esportiva do negócio.

"Tem a ver com nossa ansiedade de ocupar o mundo, tirar o Corinthians exclusivamente das fronteiras brasileiras e fazer essa paixão transbordar. Onde encontramos um núcleo de malucos, tentamos nos aproximar. Esse mesmo esforço tentamos desenvolver na China", explicou. "A capacidade que a região de Santa Fé tem de gerar craques é reconhecida na Argentina inteira".

O Corinthians acredita que os jovens talentos da Argentina vão se interessar mais pelo Santa Fé ao tomarem conhecimento do intercâmbio com uma equipe do Brasil, que tem o mercado mais aquecido que o argentino. O clube paulista não vai interferir nas finanças de sua "filial", mas deve enviar membros da comissão técnica periodicamente para acompanhar de perto os jovens valores e escolher os melhores, que podem vir para a base ou até direto para o profissional.

O clube de Santa Fé existe há seis anos e mantém atividades apenas nas divisões amadoras, com exclusiva intenção de formar jogadores. De acordo com a diretoria, mais de 50 atletas já estão espalhados por clubes da Argentina, sendo que o de maior destaque é o meia-atacante Julián Cardozo, do Arsenal de Sarandí.

Fonte: Terra, www.terra.com.br