Corinthians perde para o Santos e o Vasco segue líder

Corinthians perde para o Santos e o Vasco segue líder

A acirrada disputa pelo título do Campeonato Brasileiro promete ganhar ainda mais ingredientes de emoção nas últimas 14 rodadas

A acirrada disputa pelo título do Campeonato Brasileiro promete ganhar ainda mais ingredientes de emoção nas últimas 14 rodadas. Em um clássico que confrontou determinação e talento, o Santos venceu o Corinthians por 3 a 1, de virada, no Pacaembu, e colocou fogo no torneio. Liedson marcou para a equipe da capital paulista, mas Henrique, o artilheiro Borges e Alan Kardec fizeram para o clube do litoral. No fim do jogo, torcedores corintianos pediram a demissão do técnico Tite.

O resultado negativo derruba o Corinthians da primeira colocação depois de 17 rodadas consecutivas. O Timão cai para o terceiro lugar, com 43 pontos, um abaixo do São Paulo, seu próximo adversário, quarta-feira, às 21h50m, no Morumbi, e dois atrás do Vasco da Gama, novo líder. O clima, porém, não é dos melhores com a Fiel, que cobrou raça nos minutos finais e exigiu a queda do treinador.

Já o Santos confirma sua recuperação na tabela e vê renascer a esperança de levar para a Vila Belmiro seu terceiro troféu em 2011. O Peixe pula para 32 pontos e com dois jogos a menos ? ainda enfrenta Grêmio, no Olímpico, e Botafogo, em casa. Também nesta quarta-feira, visita o lanterna América-MG, às 20h30m, em Uberlândia.

O placar deste domingo coloca fim a uma série de 17 partidas de invencibilidade do Corinthians em clássicos no Pacaembu. O último revés havia sido em 2006, perdendo por 3 a 0 para o mesmo Santos. Por outro lado, esta é a primeira vitória da ?geração Neymar? sobre o Timão no mais tradicional estádio paulistano.

Iguais nas chances e nos gols

O placar de 1 a 1 foi pouco pelo que fizeram Corinthians e Santos em apenas 45 minutos. Se Muricy Ramalho apostou no talento refinado da estrela Neymar para carregar o Peixe no campo inimigo, Tite fez valer o empenho tático e a garra de seus jogadores para o Timão responder com um futebol menos vistoso, mas de muita eficiência.

O início de jogo foi dos visitantes. Com apenas 50 segundos, Neymar já havia criado a primeira grande chance que Chicão salvou em finalização de Ibson. O Santos só não contava com o dia ruim de seu jogador mais experiente: Léo. Mal na marcação, o lateral se transformou na arma que o Corinthians precisava para responder. Aos 12, após boa jogada de Emerson e Alessandro pela esquerda do ataque, o ala não cortou o cruzamento e Liedson marcou o 20º gol dele no ano.

A tarde serviu também para o Julio Cesar ganhar moral em sua eterna luta pela confiança da torcida corintiana. Não fosse por ótima defesa dele no canto esquerdo, Edu Dracena teria empatado de cabeça logo no reinício do jogo. Dois minutos depois, o camisa 1 voltou a aparecer ao parar o grandalhão Alan Kardec, também pelo alto.

O Corinthians passou a controlar o jogo quando corrigiu a marcação. Alex se transformou em um volante pela esquerda para segurar as descidas de Danilo, enquanto Emerson fechou o meio para impedir a saída rápida dos volantes santistas. Pouco abastecido, Neymar sumiu, e o Timão quase ampliou. Liedson carimbou o travessão e lindo chute com efeito de fora da área e Willian parou em Rafael, no ângulo esquerdo.

No momento em que era melhor, o Corinthians voltou a cometer os erros defensivos que atormentam Tite nas últimas rodadas e permitiu o empate. Neymar bateu escanteio, a bola passou por toda a defesa e sobrou para o volante Henrique, livre, bater rasteiro sem chances para Julio Cesar.

Peixe vira, e crise volta a rondar o Timão

O Santos voltou melhor para o segundo tempo. A maior velocidade imposta pelo setor ofensivo abriu a defesa do Corinthians, mas encontrou Julio Cesar. Assim como na etapa inicial, o goleiro fez duas grandes defesas em chutes de Alan Kardec e Neymar. A cota de milagres, porém, acabou aos oito minutos. Após cruzamento da direita, o artilheiro Borges se antecipou a Leandro Castán e virou o jogo, marcando o 17º gol dele no Brasileiro. O Peixe ainda poderia ter feito o terceiro pouco depois. Alan Kardec chutou para fora sem marcação na área.

A pressão que a torcida (34.308 pagantes compareceram, com renda de R$ 1.178.406,00) do Corinthians esperava não aconteceu. Muricy usou toda sua especialidade em montar bons sistemas defensivos para trancar o Santos e impedir muitos sustos. O Timão só ganhou fôlego, aos 21, quando Henrique foi expulso.

O Timão não conseguiu encurralar o adversário, mas passou a dominar. Alex, em cobrança de falta muito perigosa, e Liedson, cabeceando na pequena área, tiveram boas oportunidades para empatar. O golpe fatal veio aos 35, exatamente nos espaços dados pela ofensividade corintiana. Alan Kardec disparou pela direita e cruzou rasteiro. A bola desviou em Chicão e entrou. Felipe Anderson poderia ter transformado a vitória em goleada se não tivesse errado um toque de cobertura de frente para o goleiro rival. Nos acréscimos, o meia Alex bateu a cabeça no joelho esquerdo de Danilo, do Santos, e teve de ser retirado do gramado por uma ambulância.

No fim do jogo, a paciência da torcida do Corinthians acabou. O gritos de incentivo deram lugar a cânticos de ameaça aos jogadores, pedidos de raça e demissão do técnico Tite. Clima quente no Timão até, pelo menos, o clássico contra o São Paulo.

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com