Corinthians pode ter ataque inédito na estreia do Mundial

A única dúvida de Tite para o torneio é como formará a linha ofensiva do time

Tite precisa entregar a lista dos 23 atletas selecionados para serem inscritos para o Mundial de Clubes no próximo dia 15. Na reta final dos preparativos, resta o treinador apenas uma dúvida no ataque. Ainda indefinida, a linha ofensiva do Corinthians no Japão pode ser inédita, composta com atletas que ainda não estiveram juntos em campo.

Se o técnico optar por atuar com uma linha de três homens na frente, ele poderá optar por Jorge Henrique, Sheik e Guerrero, uma formação que nunca esteve em campo. Os dois primeiros têm muito prestígio pela história no clube e pelo desempenho na Libertadores, e o terceiro é o único centroavante com característica de ser homem de referência na área.

Nesse caso, o meia Douglas perderia a vaga de titular. Outra formação possível e já utilizada por Tite, é manter o mesmo esquema vitorioso da Libertadores. Assim, o camisa 10 permaneceria no time fazendo a função que antes era de Alex, e Jorge Henrique e Emerson formariam a dupla ofensiva, apostando nos rápidos contra-ataques.

Marin chefiará delegação do Corinthians no Japão

Correndo por fora por uma vaga no time titular, estão também o argentino Martinez e Romarinho. Ambos tiveram uma sequência boa no Brasileirão e devem ser utilizados pelo treinador, se não como titulares, pelo menos durante o Mundial. Jorge e Henrique e Emerson, que passaram um bom tempo contundidos, precisam de mais ritmo para chegar bem ao torneio.

Esse ritmo deverá ser adquirido nos cinco jogos que restam no Campeonato Brasileiro. Jorge Henrique já tem entrado nas últimas partidas do time, e Sheik estará apto somente para as últimas quatro partidas da equipe, contra Coritiba, Internacional, Santos e São Paulo, de acordo com previsão dos médicos do time do Parque São Jorge.

O Corinthians viaja para o Japão no dia 4 de dezembro. A estreia no Mundial está marcada para 12 de dezembro, na cidade de Toyota, contra um adversário ainda indefinido - pode ser Auckland City (Nova Zelândia), o campeão africano ou o representante japonês. Caso chega até a decisão, o Timão volta a jogar quatro dias depois, em Yokohama.

Fonte: r7