Crise com Tite indica: relação entre Adriano e Timão deve acabar

Crise com Tite indica: relação entre Adriano e Timão deve acabar

Com contrato até metade do ano, Adriano está pressionado por todos no Corinthians

A paciência do Corinthians com Adriano ficou ainda menor na noite da última sexta-feira. Às vésperas do confronto diante do Guarani, válido pela 13ª rodada do Campeonato Paulista, o técnico Tite demorou a comparecer à sala de imprensa do CT Joaquim Grava para a tradicional entrevista pré-duelo. Quando apareceu, o treinador, visivelmente irritado, não escondeu a insatisfação com a atual situação do consagrado atacante. O comandante anunciou o corte e aumentou a pressão em cima do jogador, atitude que indica que a renovação do contrato, válido até junho de 2012, hoje é inviável.

Segundo a programação inicial, Adriano, após a derrota por 1 a 0 no clássico do último domingo contra o Santos, permaneceria no processo de melhora do condicionamento físico para atuar neste final de semana contra o Guarani, sendo vetado da vitória sobre o Nacional-PAR pela Copa Libertadores, na última quarta-feira. Entretanto, segundo Tite, o jogador novamente decepcionou a comissão técnica do clube alvinegro.

"Ele está fora da equipe, fora da concentração. Não treinou como gostaríamos que treinasse durante a semana e evoluísse. Por isso está fora. (...) Seus trabalhos não tiveram intensidade, qualidade, dedicação e aplicação tal qual foram os outros. (...) A situação dele foi o trabalho realizado durante a semana. Não atingiu no plano técnico e físico aquilo que gostaríamos. E ele teve mais um relato que estava sentindo dor, sem força", discursou um decepcionado Tite, antes de pedir para a imprensa não questioná-lo mais sobre o jogador.

O desapontamento do treinador com Adriano complicou ainda mais a situação do jogador no time pentacampeão brasileiro. O atacante ainda não recebeu um convite da diretoria para sentar e discutir uma renovação. A alta cúpula corintiana já demonstrara anteriormente estar insatisfeita com o rendimento do atleta. Para ficar, o atacante terá que mostrar em menos de quatro meses aquilo que ainda está devendo.

Em quase um ano de Corinthians, Adriano permaneceu mais tempo no departamento médico do que em campo. O primeiro grande problema do atacante ocorreu em abril do ano passado, quando ele, na época próximo da estreia pelo clube, sofreu uma ruptura do tendão de Aquiles e adiou por mais seis meses, retornando ao time somente na reta final do Campeonato Brasileiro.

O centroavante, porém, teve participação importante nas últimas rodadas. Adriano marcou o gol da vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-MG, pela 34ª rodada do Brasileiro, e manteve, na época, o Corinthians na liderança. Entretanto, sem conseguir entrar em forma física apesar do tempo de dedicação exclusiva para aprimorar-se, Adriano irritou primeiramente Andrés Sanchez, ex-presidente do clube e atual diretor de Seleções da CBF.

"Não vou ser hipócrita, óbvio que não estou satisfeito com o desempenho dele. Ele teve uma lesão e só jogou uns minutos. Mesmo assim, fez um gol importantíssimo (relembrando o gol citado acima). Ano que vem espero que ele volte melhor", desejou o antigo dirigente, que, longe da direção corintiana, chegou a "desistir" do atleta neste ano. "O Adriano não tem mais jeito".

A esperança de retorno em grande estilo nos jogos seguintes e, consequentemente, na atual temporada, acabaram rapidamente. Em 2012, mesmo depois de algumas semanas trancado no CT Joaquim Grava, trabalhando em dois períodos diariamente, o jogador não conseguiu alcançar o peso ideal. Desde que chegou ao Corinthians, Adriano soma apenas oito jogos, e dois gols - além do anotado contra o Atlético-MG, o atacante balançou as redes contra o Botafogo-SP, em 25 de fevereiro deste ano.

Sem conseguir a sequência esperada, Adriano também decepcionou a atual diretoria de futebol. Roberto de Andrade ameaçou o jogador em relação à renovação de contrato. "No Corinthians, não se joga com nome. É muito desagradável ficar falando do Adriano. Todas as vezes em que falamos dele são fatos negativos. Ou ele saiu do jogo ou não veio trabalhar. Muito pouco se fala positivamente", discursou o dirigente, que quando assumira a presidência corintiana interinamente, já se mostrara reticente em relação à dedicação do centroavante.

Em janeiro, perto da estreia do Corinthians no Campeonato Paulista, Andrade criticara o atacante por faltar em um treinamento. "Não digo que isso é uma demonstração total, mas é um indício de que ele não quer. Estamos em janeiro, o campeonato começa sábado. Temos de analisar dentro de campo, somado às atitudes em treino. Na minha opinião, a falta é indício de que o jogador não está com muita vontade de trabalhar conosco, de que renovemos o contrato dele".

Sobre seu atual momento, o Adriano afirmou nesta sexta-feira, em entrevista à TV Globo, que está a apenas dois quilos do peso ideal. "Ainda faltam dois quilos para atingir meu peso, estou com 100 kg. Vai demorar mais um mês para dar uma melhorada muito grande". Além disso, o atacante também falou a respeito de um problema no tendão, segundo ele a principal causa de o manter afastado dos gramados. "Não tenho muita força no tendão ainda, nem na panturrilha. Fico chateado, pois as pessoas não sabem o que estou passando. Não é físico, nem peso, é a dificuldade do tendão ainda", declarou.

No início do mês de fevereiro deste ano a diretoria anunciou que passou a monitorar o que vem sendo falado do Corinthians nas redes sociais. E para divulgar a ação, a instituição alvinegra divulgou um relatório sobre o atacante. O balanço sobre o que foi falado a respeito de Adriano mostrou o seguinte resultado: 12,71% positivo, 35,17% negativo, 11,86% misto e 40,25% neutro. O próprio clube demonstrou quais palavras o nome do jogador está envolvido, e o resultado mostrou termos positivos, como "Imperador" e "decisivo", mas também negativos, como "engorda", "provar", "atirador" e "bala".

Além da diretoria, a torcida do clube do Parque São Jorge também perdeu a paciência com Adriano. Em conversa com a reportagem do Terra antes da vitória por 2 a 0 sobre o Nacional, corintianos se mostraram insatisfeitos com o desempenho do atacante em quase um ano pela equipe. Alguns até pediram a substituição do camisa 10 por outro nome na lista da Copa Libertadores da América.

"O Adriano está com descaso. Graças a Deus o Tite não o escalou hoje (quarta-feira, dia do jogo com o Nacional), pois o cara não está jogando nada", analisou Leandro Popó, 28 anos, em companhia de um grupo de amigos no estádio paulistano nesta quarta. "Ele não dá mais, o lugar dele é no Rio de Janeiro", acompanhou Armando, 32 anos. "Acho que poderia trocar ele pelo Zizao na próxima fase", retrucou Leandro.

Tratado com paciência por quase um ano, mesmo sem corresponder em campo, Adriano parece ter queimado todas as etapas no Corinthians. A irritação de Tite sobre ele, algo inédito e completamente incomum em virtude do temperamento sereno do comandante corintiano, pode abreviar a passagem, até aqui, frustrante do atacante, que defendeu a Seleção na Copa do Mundo de 2006, no atual campeão nacional.

Fonte: Terra, www.terra.com.br