Croácia derrota Irlanda por 3 x 1 e garante a primeira posição do grupo C da Eurocopa

Croácia derrota Irlanda por 3 x 1 e garante a primeira posição do grupo C da Eurocopa

Atacante Mario Mandzukic faz gol mais rápido da Euro 2012 e ajuda equipe do Leste Europeu a vencer

A Croácia surpreendeu o mundo ao conquistar o terceiro lugar no Mundial da França, em 1998, com destaque para Davor Suker, artilheiro daquela edição da Copa. Neste domingo, o maior goelador da história da seleção do Leste Europeu acompanhou da tribuna do Estádio Municipal de Poznan a estreia croata na Euro 2012 e não se decepcionou: viu seu país vencer a Irlanda por 3 a 1, com destaque para um novo homem-gol: Mario Mandzuvic.

Depois de Mario Gómez brilhar ao dar a vitória para a Alemanha sobre Portugal e Mario Balotelli perder a grande chance de ser o herói italiano diante da Espanha, o Mario croata cumpriu bem a missão de ser o artilheiro croata após o corte de Olic: fez dois gols, sendo um deles o mais rápido da Euro 2012, até aqui, aos três minutos do primeiro tempo. O placar foi completo por Jelavic, enquanto St. Ledger fez o único gol irlandês.

Com a vitória na estreia, a Croácia termina a rodada na liderança do grupo C, que conta com as gigantes Itália e Espanha, que empataram em 1 a 1 em Gdansk. Agora, o time croata tem pela frente justamente os espanhóis, atuais campeões da competição, na próxima quinta-feira, às 15h45m (de Brasília). No mesmo dia, a Irlanda enfrentará a Itália, às 13h.

Croácia sai na frente com mais rápido da Euro 2012

Às vésperas da Eurocopa, a Croácia se viu desfalcada de um de seus principais jogadores: o atacante Olic, jogador do Bayern de Munique. Então, abriu-se uma disputa na equipe para ver quem seria o homem-gol da equipe no torneio e Mario Mandzuvic levou a melhor sobre o brasileiro Eduardo da Silva. E mostrou seu cartão de visitas com apenas três minutos em campo.

No gol mais rápido da Euro 2012 até agora, Srna fez boa jogada pela direita, levou a bola à linha de fundo e cruzou para o meio da área. Lá, Mario esperava para desviar para o canto esquerdo de Shay Given, que ainda se esticou, mas não conseguiu evitar o gol irlandês.

A desvantagem prematura no placar fez com que a Irlanda apostasse em uma postura mais ofensiva. Os ataques, porém, não aconteciam com muita organização e as finalizações não eram precisas. Andrews teve boa chance em cobrança de falta da entrada da área, mas jogou na barreira, desperdiçando a sobra, sem seguida.

Se falhou em evitar o gol croata após um cruzamento, os irlandeses foram muito eficientes em utilizar a mesma arma para empatar o jogo. Aos 18 minutos, Doyle cobrou falta da esquerda e alçou a bola ao segundo poste. Marcado de perto por Corluka, o zagueiro St. Ledger levou a melhor e conseguiu desviar para o gol.

Com o jogo ?zerado?, a Irlanda voltou a estar em sua zona de conforto: atuar na defesa e esperar as chances de contra-ataque para conseguir um gol. Aproveitando o espaço, a Croácia avançou e fez Shay Given trabalhar, como no chute de Perisic, aos 22.

Inclusive, os chutes de fora da área foram uma das armas croatas para trazer perigo diante da defesa irlandesa bem postada diante da área. E foi em um lance do tipo que saiu o segundo gol da Croácia. Aos 42, Modric bateu forte de fora da área e bola parou na zaga irlandesa. Mas quem deveria afastar o perigo acabou jogando contra o próprio patrimônio. Ward desviou a bola para trás e acabou deixando Jelavic livre, na cara de Shay Given. O camisa 9 não desperdiçou a chance e desempatou o jogo, enquanto os zagueiros irlandeses pediam a marcação do impedimento.

"Replay" consagra novo "Super Mario"

O começo da segunda etapa teve cara de ?replay?. A Croácia ampliou o placar novamente aos três minutos, novamente de cabeça e novamente com Mario Mandzuvic. Após cruzamento da esquerda, o atacante aguardava na marca do pênalti para cabecear para o gol. A bola tocou na trave e bateu na cabeça de Shay Given antes de entrar no gol e ampliar o placar.

O terceiro gol da Croácia acabou esfriando a partida. Apesar do ímpeto em busca do empate, a Irlanda não mostrava qualidade ofensiva para conseguir igualar o jogo. Inclusive, a posse de bola continuava majoritariamente croata. O assumidamente defensivo Giovanni Trapattoni, então, operou duas substituições na equipe, deixando a equipe com três atacantes em campo.

Apesar de estar mais ofensiva, a Irlanda não conseguia criar chances perigosas. Uma boa chance veio as 23 minutos, com Dunne cabeceando dentro da área para a defesa de Pletikosa. As bolas alçadas continuaram sendo a estratégia irlandesa para tentar diminuir a diferença, mas a presença de Davor Suker parece ter protegido Mandzukic para que fosse o único astro no duelo em Poznan.

Fonte: Globo Esporte