Cruzeiro vence com golaço de Roger

Com o resultado, a Raposa chegou a 12 pontos e assumiu a vice-liderança do Campeonato Mineiro

No clássico das flanelinhas, o Cruzeiro não cedeu seu lugar ao Atlético-MG. Na noite deste sábado, a Raposa derrotou o Galo por 3 a 1, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro, e fez a festa de seus torcedores, que não se cansaram de provocar o arquirrival por não ter se classificado à Taça Libertadores, deixando a vaga para o clube azul e branco na reta final do Brasileirão 2009. A comemoração nas arquibancadas ainda ficou completa com a estreia de Roger, que deu assistência para o segundo gol, fez o terceiro e vestiu a cabeça da fantasia de raposa que um mascote estava usando. A vitória ainda ampliou a escrita a favor do Cruzeiro, que completou oito clássicos de invencibilidade contra o rival no Estadual.

Com o resultado, a Raposa chegou a 12 pontos e assumiu a vice-liderança do Campeonato Mineiro, ao lado do Tupi, que derrotou o lanterna Ituiutaba por 3 a 0 - o time de Juiz de Fora, no entanto, tem menos gols de saldo (sete contra nove). Mas o Ipatinga, que neste domingo enfrenta o líder Democrata, pode terminar a rodada com 13 pontos e no primeiro lugar, empurrando assim a equipe de Governador Valadares para a segunda posição.



O Galo, por sua vez, continua na sexta colocação, com seis pontos, mas corre o risco de cair duas posições caso América-MG derrote o Villa Nova e haja um vencedor no confronto entre Uberaba e América de Teófilo Otoni. A equipe comandada por Vanderlei Luxemburgo volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h50m (de Brasília), quando enfrenta o Juventude-AC na Arena da Floresta, em Rio Branco, no Acre, no jogo de ida pela primeira fase da Copa do Brasil. Pelo Estadual, o adversário será o Uberlândia, domingo, às 17h, no Parque do Sabiá.

Já o Crzeiro tem na quarta-feira o seu segundo compromisso pela Libertadores. No Mineirão, às 21h50m, recebe o Colo Colo, do Chile. Volta a jogar pelo Mineiro no sábado, às 17h, contra o Ituiutaba, no estádio Fazendinha.

Rivalidade nas arquibancadas esquenta o clássico em campo

A provocação dos torcedores celestes com a "Operação Flanela" só fez aumentar o sentimento de revanche na torcida atleticana. E o clima que antecedeu o clássico acabou motivando os jogadores das duas equipes. O primeiro tempo foi eletrizante do primeiro ao último minuto, com os dois times jogando de forma franca e buscando o gol a cada jogada.

Logo aos três minutos, num dos raros momentos que conseguiu fugir da forte marcação, Kléber recebeu livre na entrada da área e chutou colocado. Carini apenas observou a bola passar rente à trave direita. A resposta do Galo veio com uma sequência de cinco escanteios pela esquerda, todos cobrados por Correa. Mas o lance mais bonito aconteceu aos 11, quando Fábio saiu mal da área, Tardelli tentou por cobertura, e Leonardo Silva salvou de maneira impressionante em cima da linha

A partida seguia alucinante e tensa para as duas torcidas. Aos 22, o Cruzeiro mexeu no placar. Gilberto cobrou escanteio da esquerda, e Gil concluiu sem força para fazer 1 a 0 - Leandro, ao tentar cortar, acabou atrapalhando Carini, que estava na bola. Mas a festa da torcida azul e branco durou apenas oito minutos. Após defesa espetacular de Fábio em conclusão de Jairo Campos, o próprio equatoriano pegou o rebote para chutar cruzado e empatar o jogo. Euforia alvinegra no Mineirão.

No restante da primeira etapa, o Atlético foi mais incisivo no ataque e obrigou o goleiro Fábio a fazer pelo menos uma grande intervenção, aos 44. E na defesa, tanto que três atleticanos (Jonílson, Coelho e Leandro) foram para o vestiário tendo levado cartão amarelo, contra apenas um cruzeirense (Kléber).

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com