Cruzeiro vence Galo no Uruguai

A decisão e a disputa do terceiro lugar serão na próxima quarta-feira, no mesmo local

O dia 17 de janeiro de 2009 ficará marcado para sempre na historia dos maiores clubes de Minas Gerais: Cruzeiro e Atlético. Os rivais se enfrentaram pela primeira vez fora do território nacional e a Raposa terá a vida inteira para comemorar a vitória numa data tão importante. O time superou o rival por 4 a 2, na tarde deste sábado, no Estádio Centenário, e consequentemente garantiu uma vaga na final do Torneio Verão, no Uruguai. A decisão e a disputa do terceiro lugar serão na próxima quarta-feira, no mesmo local, contra o vencedor e o perdedor de Peñarol x Nacional.

O jogo

O Cruzeiro começou melhor no jogo e foi logo ao ataque. Logo aos três minutos, Jonathan bateu de fora da área e Juninho fez boa defesa. O forte calor na cidade de Montevidéu fez com que os times não investissem muito nas jogadas longas, e o jogo ficou cadenciado. Apesar das dificuldades, a Raposa tinha o maior domínio.

Aos oito, Fernandinho lançou para Thiago Ribeiro na ponta esquerda. O atacante cruzou de primeira, mas a defesa do Atlético fez o corte. De tanto pressionar o time celeste chegou ao primeiro gol. Jonathan cruzou da direita, o volante Renan tentou tirar e acabou colocando contra a própria meta, aos 17 minutos.

O juiz Jorge Larrionda parou o jogo aos 25 minutos devido ao forte sol e a temperatura no campo. Parece que isso ajudou o Galo, que voltou melhor. Aos 35, Diego Tardelli cruzou e a bola na mão de Thiago Heleno: pênalti. O próprio Tardelli cobrou com categoria e empatou no minuto seguinte.

Porém, depois de uma bobeada da zaga atleticana o Cruzeiro também conseguiu um pênalti. Welton Felipe segurou Thiago Ribeiro e derrubou o atacante. O árbitro não teve duvidas e marcou. Fernandinho cobrou forte, Juninho ainda conseguiu chegar na bola, mas ela entrou devagar, no canto esquerdo do goleiro.

O Cruzeiro ampliou aos 46. Depois de um contra-ataque, Jonathan tabelou com Ramires, o volante ficou sozinho diante de Fábio e finalizou com perfeição.

Uruguaios começam a fazer barulho

O segundo tempo do clássico mineiro começou barulhento. Isso porque as torcidas de Peñarol e Nacional já marcavam presença no estádio e cantavam bastante. O Galo tinha ao seu lado a torcida do Peñarol, pois jogava com a camisa do centenário que se parece muito com a do time uruguaio.

Aos 10 minutos o Cruzeiro teve uma grande chance. O goleiro Juninho não se entendeu com o zagueiro Marcos e quase deram o gol para o rival. O Galo respondeu aos 14. Eder Luís passou pelo goleiro Fábio finalizou, mas Léo Fortunato cortou em cima da linha. O técnico Adilson Batista tirou seus jogadores mais importantes para poupa-los, mas isso ajudou o Galo. Aos 18 Carlos Alberto entrou sozinho na área e Fábio fez grande defesa evitando o segundo gol do Atlético.

A pressão era grande e os atleticanos diminuíram aos 22. Thiago Feltri chegou pela esquerda e cruzou para a finalização de Diego Tardelli. A torcida do Galo levantou e começou a acreditar no empate. Porém, o time não conseguiu superar a retranca cruzeirense e acabou levando o quarto gol aos 43. Ramires cruzou para Soares que deu números finais ao clássico e a classificação da Raposa para a final do Torneio Verão 2009.

Fonte: GloboEspote, www.globoesporte.com