Cruzeiro vence Internacional e chega à sua maior vantagem no campeonato

Cruzeiro vence Internacional e chega à sua maior vantagem no campeonato

O time celeste foi soberano dentro das quatro linhas e chegou à sua maior vantagem na ponta da tabela nacional

Quem será capaz de parar o Cruzeiro? No dia em que entrou em campo para enfrentar o vice-líder e possivelmente maior concorrente ao título brasileiro, Internacional, o time celeste foi soberano dentro das quatro linhas e chegou à sua maior vantagem na ponta da tabela nacional: com gols de Marcelo Moreno e Marquinhos, triunfou por 2 a 1 em um Mineirão abarrotado por quase 52 mil pessoas e abriu nove pontos (56 a 47) de “gordura” na liderança do Campeonato Brasileiro. Esta é a maior distância já estabelecida por uma equipe na primeira colocação da atual edição da Série A – a anterior pertencia exatamente aos mineiros, que chegaram a ficar oito pontos acima do segundo melhor posicionado em outras oportunidades.

O domínio cruzeirense foi total desde o primeiro minuto de partida – muito por causa da postura extremamente defensiva do Inter. Escalada com três volantes (Willians, Aránguiz e Wellington) e apenas um atacante (Rafael Moura), a equipe gaúcha optou por se fechar na retaguarda e pagou caro por isto. O Cruzeiro manteve maior posse de bola durante toda a primeira etapa e mostrou muita paciência para furar a retranca colorada.

O primeiro gol saiu em um erro na saída de bola do Inter. Aos 19min, Aránguiz tentou driblar na entrada da área e foi desarmado por Marcelo Moreno. Rápido e certeiro, o boliviano finalizou com violência da entrada da área, e Dida espalmou para o lado. Caprichosamente, a bola cutucou a trave direita e morreu no fundo das redes coloradas: 1 a 0. O Inter até respondeu minutos depois, em cabeçada perigosa de Rafael Moura, mas depois voltou a ser dominado.

A marcação dos donos da casa praticamente sufocava a equipe colorada. Resultado? O prejuízo foi aumentado ainda antes do intervalo. Aos 33min, Éverton Ribeiro avançou pela meia esquerda e cruzou com muita consciência nas costas da defesa colorada. Sem marcação, Marquinhos apareceu livre frente a frente com Dida e só cutucou, de primeira, no canto direito de Dida: 2 a 0. O jogo estava definido ainda no primeiro tempo, certo? Errado.

Abel Braga tirou Wellington e colocou Alex no intervalo, e o Inter melhorou em campo na segunda etapa. Aos 4min, D’Alessandro cobrou falta na trave e apenas um milagre impediu a bola de entrar no gol – ela ficou girando sobre a linha até a zaga afastar o perigo. Na sequência, Juan cometeu pênalti em Marcelo Moreno, e Willian teve no pé direito achance de definir o triunfo celeste. Na cobrança, porém, exagerou na altura e isolou a bola para as arquibancadas do Mineirão.

O castigo, então, apareceu aos 10min. E foi um lindo castigo. Alex carregou a bola com categoria no campo de ataque e, de muito longe, encheu o pé no ângulo direito do goleiro Fábio. Antes de entrar, a redonda ainda beliscou o travessão. O Inter, então, adiantou a marcação e causou calafrios na torcida celeste em alguns momentos. O Cruzeiro, porém, voltou a controlar o jogo a partir dos 20min e ainda obrigou Dida a trabalhar antes de comemorar o triunfo que o deixou ainda mais próximo do bicampeonato brasileiro.

Na próxima rodada, o Cruzeiro segue em Belo Horizonte e enfrenta o Corinthians, às 22h (de Brasília), no Mineirão. Por sua vez, o Inter viaja a Santa Catarina para duelar com a Chapecoense, às 20h30 de quinta-feira.



 

 

Fonte: Terra