De forma amigável, Ronaldinho Gaúcho rescinde seu contrato e encerra ciclo no Atlético-MG

De forma amigável, Ronaldinho Gaúcho rescinde seu contrato e encerra ciclo no Atlético-MG

O jogador dará uma entrevista coletiva na próxima quarta-feira, na Cidade do Galo, quando se despedirá da torcida

Ronaldinho Gaúcho não é mais jogador do Atlético-MG. O empresário e irmão do meia, Roberto Assis, e o presidente do clube mineiro, Alexandre Kalil, se reuniram nesta segunda-feira e acertaram a rescisão do contrato, que terminaria em dezembro, de forma amigável.

O acordo que antecipou a saída de Ronaldinho ocorreu na manhã desta segunda-feira, entre Kalil e Assis, na casa do presidente do Atlético. Segundo o clube mineiro, nenhuma das partes pagará multa pela rescisão. O jogador dará uma entrevista coletiva na próxima quarta-feira, na Cidade do Galo, quando se despedirá da torcida. A passagem do craque durou pouco mais de dois anos e foram três títulos conquistados, sendo dois internacionais.

Em participação ao vivo durante o programa Arena Sportv, o técnico Levir Culpi comentou a saída do camisa 10. "Não conto mais com Ronaldinho Gaúcho. A última notícia que recebi é de que ele já teria assinado uma rescisão de contrato. Então, é uma notícia oficial que eu recebi, mas acho que terminou o ciclo do Ronaldo conosco, infelizmente, porque ele é um ídolo de todos nós, todo mundo gosta do seu futebol, da maneira como ele jogo, ele é muito carismático, mas é assim que funciona. Ele está saindo e a gente vai seguir sem ele", observou o treinador.

Contratado pelo Atlético em junho de 2012, Ronaldinho disputou 88 jogos e marcou 28 gols com a camisa alvinegra. O atleta conquistou o Campeonato Mineiro e a Libertadores na temporada passada, além da Recopa Sul-Americana na semana passada.

O meia chegou ao clube mineiro após uma saída conturbada do Flamengo, graças a liminar na Justiça do trabalho do Rio de Janeiro. A contratação surpreendeu e foi cercada por grande desconfiança por parte da torcida, mas bancada por Alexandre Kalil.

Ronaldinho foi abraçado pela torcida atleticana e ajudou o time mineiro terminar 2012 como vice-campeão brasileiro. A empatia com os torcedores foi fundamental para o craque recuperar o grande futebol e se destacar na conquista da Libertadores, a primeira na história do clube mineiro.

Sem repetir as boas atuações dos anos anteriores, Ronaldinho viveu seu pior momento com a camisa do Atlético. Com a chegada do técnico Levir Culpi, o meia não escondeu a insatisfação ao ser substituído nos jogos. Contra o Lanús, pela Recopa, ele deixou o campo no segundo tempo acenando para a torcida em clima de despedida.

Liberado para a despedida de Deco na Cidade do Porto, na última sexta-feira, Ronaldinho perdeu o voo, não foi a Portugal e também não se reapresentou ao Atlético, ficando fora do jogo com o Sport, em Recife, no domingo, pelo Brasileirão. Uma explicação oficial não foi passada para a diretoria, algo que irritou os dirigentes atleticanos. O comportamento do atleta o deixou mais perto de rescindir o contrato, o que foi concretizado nesta segunda.

Fonte: UOL