"De saco cheio", Luiz Felipe Scolari pede fim de multa contratual

"De saco cheio", Luiz Felipe Scolari pede fim de multa contratual

Quando ele assinou com o clube, há pouco mais de um ano, seu contrato previa multa de cerca de R$ 5 milhões caso uma das partes quebrasse o vínculo.

O técnico Luiz Felipe Scolari, 62, está de saco cheio. Das pressões, polêmicas e "pessoas" que o atacam. Em entrevista coletiva, ontem, ele desabafou. Reclamou da imprensa e queixou- -se do episódio em que foi acusado de agredir um fotógrafo no Rio --chamou o fato de "malandragem porca". Também disse que está de saco cheio de "bobagens escritas" e de "certas pessoas". E sugeriu ao Palmeiras um novo acordo para uma eventual saída: o fim de sua multa por quebra de contrato.

Quando ele assinou com o clube, há pouco mais de um ano, seu contrato previa multa de cerca de R$ 5 milhões caso uma das partes quebrasse o vínculo. No entanto, o valor cai conforme se aproxima o fim do contrato.

"Algumas pessoas têm interesse em passar para vocês que eu tenho uma multa grande. Tem multa, sim. Mas chega um momento que ofereço ao clube, assim como fiz em 1999, o fim da multa para que eles fiquem à vontade", afirmou Scolari.

"Digo isso para o Palmeiras não ficar pensando no dinheiro que tem que me pagar. Não quero nada, zero. Mas, se eu não quero nada, espero que digam o mesmo. É só redigir, e amanhã estará livre A e estará livre B", completou o treinador gaúcho.

Ou seja, Scolari sugeriu, em público, um novo acordo para que tanto ele quanto o Palmeiras fiquem à vontade, sem obrigação de pagar multas, caso um não queira mais trabalhar com o outro.

O contrato dele vai até o fim de 2012. Ontem, a torcida deixou uma faixa na entrada no CT: "Fora Felipão".

Scolari ignorou a manifestação, disse que pretende ficar no clube, mas reforçou a ideia de extinguir a multa.

"Não tenho intenção nenhuma de sair. Já disse: trouxe minha família, montei toda minha situação aqui. Mas é dose, é preciso ter saco para aturar todos os dias a mesma bobagem escrita, ou alguém mandando dizer, fulano de tal etc. E eu sei quem faz isso. Estou de saco cheio."

"Amanhã, zero Palmeiras me paga, zero eu pago o Palmeiras. Mas eu quero isso no papel", ressaltou Scolari.

Roberto Frizzo, vice de futebol, minimizou as declarações do treinador. E descartou mudanças no contrato.

"Nossa relação não é baseada em sanções e punições. Isso [cancelar a multa] nunca foi cogitado. E acho que não é necessário. Somos pessoas de bem, sempre haverá entendimento", afirmou.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br