Dedé sobre racismo: "Não é fácil ser chamado de macaco"

Libertad durante o jogo inteiro e mostrou orgulho de ser da raça negra

Dedé e Renato Silva não sofreram apenas com a pressão imposta pelo ataque do Libertad. Além da batalha campal que foi o empate em 1 a 1 com os paraguaios, a dupla de zaga do Vasco foi vítima de um crime que até hoje acontece no mundo: o racismo. A informação foi dada no blog Primeira Mão. Renato Silva foi mais comedido ao comentar o episódio, mas Dedé abriu o jogo e deixou clara toda a sua insatisfação com o episódio. Segundo o Mito, eles foram xingados de "macaco" pelos torcedores do Libertad durante o jogo inteiro.

Dedé condenou os torcedores e fez questão de deixar bem claro o orgulho que sente por ser brasileiro e da raça negra. O zagueiro lamentou que em um país tão próximo ao Brasil e com uma população composta por variadas raças ainda existam pessoas tão preconceituosas.

- É triste. Não é fácil escutar um babaca chamar a gente de macaco. Fico triste por existirem pessoas assim, mas mantenho a minha cabeça erguida. Tenho orgulho da minha cor e orgulho de ser brasileiro. Não vai ser a primeira, nem a última vez, e isso não vai me abalar. Pelo contrário. Isso nos deu mais motivação lá e para o resto da vida também - desabafou.

Após o jogo, foi cogitada a possibilidade de procurar a polícia local e prestar queixa. No entanto, segundo Dedé, a ação poderia não dar em nada e iria gerar uma dor de cabeça grande podendo até atrapalhar o planejamento do Vasco para o retorno ao Brasil. Renato Silva foi além. Na sua visão, uma ação judicial poderia gerar ainda mais raiva.

- Não sei por que insistem nisso. Xingaram muito mesmo. Mas não demos bola. Se a gente corresse atrás de polícia ou alguma coisa, isso poderia gerar um sentimento ainda maior de raiva. Como a gente ignorou, acredito que não vão voltar a fazer - disse.

Dedé concordou com o companheiro e acredita que isso não irá acontecer no jogo de volta, na próxima quarta-feira, em São Januário.

- Não partiu de nenhum jogador ou membro da comissão técnica. E sim dos torcedores. Mas se por acaso eu ouvir algo, a história aqui é diferente. Estamos no nosso país e vamos procurar tomar alguma medida - finalizou.

Os jogadores que desembarcaram no Rio de Janeiro ganharam a quinta-feira para descansar. O time se reapresenta na próxima sexta-feira, às 9h (de Brasília), em São Januário. O Vasco volta a entrar em campo no próximo domingo, contra o Botafogo, no Engenhão.


Dedé sobre racismo:

Fonte: Globo Esporte, www.globoesporte.com